CICLISMO

Ricardo Machado, Luís André Ribeiro e Diogo Costa no Top25 de Juniores

Ricardo Machado (Seissa/KTM-Bikeseven/Matias&Araújo/Frulact), Luís André Ribeiro (CC Barcelos/ AFF/Flynx/HM Motor) e Diogo Costa (Tensai/Sambiental/Santa Marta) terminaram no Top25 do Campeonato Nacional de Fundo de Ciclismo de Estrada, que se realizou esta tarde, em Castelo Branco.

Ricardo Machado, ciclista de Braga que alinha na Seissa, fez 18.º lugar, cortando a meta integrado no pelotão a 2.20m depois do grande vencedor, João Silva (Bairrada), que percorreu os 88 quilómetros em 2h12m27s.

Diogo Costa, da Tensai/Sambiental/Santa Marta, também chegou integrado no pelotão, passando a meta no 21.º lugar. O ciclista de Ponte de Lima debateu-se com alguns problemas mecânicos antes da partida, mas manteve-se seguro dentro do pelotão.

Luís André Ribeiro, Júnior de primeiro ano do CC Barcelos/ AFF/Flynx/HM Motor, terminou o ‘Nacional’ no 23.º lugar. O ciclista da zona de Esposende trabalhou imenso, fez uma corrida toda ela de trás para a frente e foi conquistando posições, chegando a ocupar a nona posição na terceira passagem pela meta. Na parte final da corrida acabou por pagar o desgaste, e no sprint final não conseguiu melhor que o 23.º lugar, sendo o melhor ciclista do CC Barcelos.

Dos restantes ciclistas, Diogo Saleiro (CC Barcelos), que chegou a andar na frente da corrida, fez o 29.ºlugar, cortando a meta 2.28m depois de João Silva.

Roberto Cardoso (Tensai) foi 30.º e Sérgio Saleiro terminou no 38.º lugar. Leonardo Mendes, o terceiro homem na Tensai, cortou a meta no 44.º lugar.

RICARDO MACHADO “DEI TUDO O QUE TINHA E FICO CONTENTE PELAS SENSAÇÕES”

O único ciclista da Seissa presente no Campeonato Nacional de Juniores considerou que “foi uma corrida que desde o início foi muita endurecida devido a sucessivos ataques. Consegui sempre colocar-me relativamente bem e estava com boas sensações. No entanto um adversário bateu-me na roda da frente e partiu-me um raio”.

“Quando estava a encostar ao grupo principal deram-se os ataques que acabariam por discutir a corrida e foi-me impossível responder” disse Ricardo Machado, que adiantou que “dei tudo o que tinha e fico contente pelas sensações. O resultado não foi o que eu queria, mas resta-me continuar o trabalho porque acredito que o azar não vai sempre bater à porta”.

Ricardo Machado não terá muito tempo para descansar e no próximo fim de semana ruam, em princípio, a Espanha para mais uma prova internacional… “a minha equipa, a Seissa, ainda tem uma prova prevista em Espanha no próximo fim de semana, portanto o objetivo agora é dar tudo para dignificar as cores da equipa, mais uma vez. Espero estar à altura do desafio”.

DIOGO COSTA (TENSAI): “ESTOU SATISFEITO COM O RESULTADO”

Diogo Costa sai dos Campeonatos Nacionais satisfeito com o resultado obtido. O ciclista de Ponte de Lima chegou integrado no pelotão, cortando a meta no 21.º lugar…

“Posso dizer que a prova de hoje correu bem. Consegui a 21.ª posição, tal como prevíamos, houve equipas que atacaram muito e nós guardamo-nos para tentar algo na última volta. Não foi possível sair, mas consegui colocar-me o melhor possível para o sprint”, começou por referir Diogo Costa.

O ciclista de Ponte de Lima adiantou que “estou satisfeito com o resultado, até porque tive muitos problemas mecânicos com a bicicleta antes da partida. Parti com alguma apreensão, mas penso que fiz uma boa prova embora me tenha faltado ambição na parte final”.

“Agora vou descansar e aproveitar o que a bicicleta nos proporciona”, disse ainda o ciclista da Tensai.

LUÍS ANDRÉ RIBEIRO “NÃO FOI UMA CORRIDA FÁCIL…MAS ESTOU SATISFEITO”

Luís André Ribeiro, do CC Barcelos, foi um dos ciclistas que mais trabalhou durante toda a corrida. O ciclista de Esposende foi subindo posições conforme foram passando as voltas e à terceira passagem meta ocupava a nona posição, mas na última volta acusou algum desgaste…

“Não foi uma corrida fácil, até porque vinha de uma recuperação de lesões nos dois joelhos. Havia zonas do percurso com muito vento cruzado e era preciso estar bem colocado no pelotão. Depois no início da última volta já sentia o cansaço e então foi gerir o esforço até ao fim”, começou por afirmar o ciclista da Zona de Esposende.

Luís André Ribeiro trabalhou muito e foi subindo posições e refere que “tentava proteger-me do vento e assim me poupar um bocado. Havia zonas que se tinha de estar à frente para não perder posições e evitar quedas”.

O ciclista do CC Barcelos diz-se satisfeito, mas… “podia ter feito melhor, mas tenho que dizer que estou satisfeito com o resultado”.

Quanto ao futuro: “vou treinar mais esta semana para descomprimir, depois é ‘arrumar a bicicleta’ e descansar. Foi uma época com poucas provas, mas muito cansativa, com muitos treinos”.

Comentários

Artigos relacionados

Botão Voltar ao Topo

COVID-19

Nas áreas afetadas, a Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda medidas de higiene e etiqueta respiratória para reduzir a exposição e transmissão da doença: • Medidas de etiqueta respiratória: tapar o nariz e a boca quando espirrar ou tossir, com um lenço de papel ou com o antebraço, nunca com as mãos, e deitar sempre o lenço de papel no lixo; • Lavar as mãos frequentemente. Deve lavá-las sempre que se assoar, espirrar, tossir ou após contacto direto com pessoas doentes. Deve lavá-las durante 20 segundos (o tempo que demora a cantar os “Parabéns”) com água e sabão ou com solução à base de álcool a 70%; • Evitar contacto próximo com pessoas com infeção respiratória; • Evitar tocar na cara com as mãos; • Evitar partilhar objetos pessoais ou comida em que tenha tocado. Seja responsável, faça a sua parte. Respeite o isolamento social. #JUNTOSVENCEREMOS