CICLISMO

Bruno Anselmo, José Lourenço, Raquel Marques e Gil Pereira Campeões de XCM

Bruno Anselmo, da SAERTEX Portugal – Edaetech, José Lourenço, da SPAC BTT, Raquel Marques, ciclista de Barcelos que alinha na AXPO/FirstBike Team/Vila do Conde, e Gil Pereira (Batotas/Ponte Lima) sagraram-se esta tarde Campeões Nacional de Maratonas (BTT XCM), numa prova que decorreu em Condeixa-a-Nova e que contou com outros resultados de destaque dos ciclistas minhotos.

Bruno Anselmo é o novo Campeão Nacional de Master 30. O ciclista da equipa de Viana do Castelo fez o percurso em 04:51.38h, deixando o seu mais direto perseguidor, Tiago Castro (SPAC BTT) a mais de cinco minutos. Filipe Ramos (Póvoa Varzim/CDC Navais) foi terceiro.

José Lourenço, da equipa de Ponte de Lima da SPAC BTT, conquistou a camisola de Campeão Nacional em Master 35, um ano depois de ter sido Campeão de Master 30. José Lourenço deixou o segundo classificado a cerca de cinco minutos.

Raquel Marques, ciclista de Barcelos que alinha na AXPO/FirstBike Team/Vila do Conde, arrecadou a camisola de Campeã Nacional de Master 40. A ciclista barcelense fez o percurso em 04:14.12h, superiorizando-se Andreia Freitas (BTT Loulé/Elevis).

Gil Pereira, do Batotas/Ponte Lima) sagrou-se Campeão Nacional de Paraciclismo C, gastando menos dois minutos que o segundo classificado, Joºao Monteiro (Mozinho RT Martos Pellets Valvoline).

Em Master 40, António Pinto (SPAC BTT) fez terceiro lugar, numa prova ganha por Nuno Inácio.

João Leite (SPAC BTT) foi terceiro classificado em Master 45 e Manuel Pinto (SAERTEX Portugal – Edaetech) foi segundo em Master 60.

Por equipas, a SPAC subiu ao segundo lugar do pódio de Master, enquanto a SAERTEX Portugal-Edaetech foi terceira.

JOSÉ LOURENÇO: “NENHUMA VITÓRIA É FÁCIL”

José Lourenço foi o grande vencedor em Master 35. O ciclista da equipa de Ponte de Lima partiu para o Campeonato Nacional determinado em conquistar a camisola de Campeão Nacional e conseguiu, mas garante que “nenhuma vitória é fácil”.

Sobre a prova desta tarde, José Lourenço adiantou que “foi uma prova difícil, em que tentei ‘fugir’ aos adversários desde a partida. No final da primeira volta consegui ganhar alguma distância e a parti daí foi sempre a ganhar tempo. A cinco quilómetros do final estava com uma vantagem de quatro minutos e fui mais relaxado até à meta”.

Na hora de festejar, José Lourenço realçou “os resultados alcançados pela equipa, como o de Tiago Fernandes faz segundo em Master 30, Miguel Pinto foi terceiro em Master 40 e João Leite foi terceiro em Master 45. Por equipas, a SPAC foi segunda em Masters”.

Quanto ao futuro… “Agora é esperar e ver como será a próxima época” disse José  Lourenço.

Comentários

Artigos relacionados

Botão Voltar ao Topo

COVID-19

Nas áreas afetadas, a Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda medidas de higiene e etiqueta respiratória para reduzir a exposição e transmissão da doença: • Medidas de etiqueta respiratória: tapar o nariz e a boca quando espirrar ou tossir, com um lenço de papel ou com o antebraço, nunca com as mãos, e deitar sempre o lenço de papel no lixo; • Lavar as mãos frequentemente. Deve lavá-las sempre que se assoar, espirrar, tossir ou após contacto direto com pessoas doentes. Deve lavá-las durante 20 segundos (o tempo que demora a cantar os “Parabéns”) com água e sabão ou com solução à base de álcool a 70%; • Evitar contacto próximo com pessoas com infeção respiratória; • Evitar tocar na cara com as mãos; • Evitar partilhar objetos pessoais ou comida em que tenha tocado. Seja responsável, faça a sua parte. Respeite o isolamento social. #JUNTOSVENCEREMOS