CICLISMO

Minhotos à conquista da Volta a Portugal

César Fonte, David Ribeiro, João Benta, João Matias, Pedro Miguel Lopes e Tiago Machado, são os ciclistas minhotos presentes na edição especial da Volta a Portugal em bicicleta, que arranca este domingo de Fafe, com a realização de um prólogo de sete quilómetros que liga o Parque da Cidade à Praça 25 de Abril.

A este grupo de ciclistas juntam-se outros tantos minhotos que têm outras missões na Volta a Portugal, é o caso do Comissário João Carlos Pereira, do massagista Gaspar Silva (Miranda/Mortágua), do mecânico Lizuarte Martins (Aviludo-Louletano) e ainda José́ Luís Ribeiro (Membro da Direção da Volta a Portugal Edição Especial Jogos Santa Casa com as áreas de “Comunicação, Gabinete Imprensa e Protocolo”), Nuno Lopes e  Tânia Pinheiro (Apoio à organização), e ainda speaker Armando César.

TIAGO MACHADO: “É UM GRANDE ORGULHO PODER PEDALAR NA MINHA REGIÃO”

Tiago Machado, ciclista de Famalicão que alinha na EFAPEL, é um dos nomes fortes para a Volta a Portugal 2020. O ciclista famalicense, que foi, recentemente, medalha de bronze no Campeonato Nacional de Contrarrelógio, diz-se preparado para a edição especial da Volta a Portugal.

Tiago Machado começou por referir que “estou a encarar esta Volta com ansiedade, pois sai do contexto que estamos habituados, mas acredito que vai correr tudo bem”.

Quanto a objetivos, o ciclista de Famalicão garante que “não tenho nenhum objetivo pessoal pois vamos com um grande candidato ao triunfo e temos de unir esforços para que isso seja possível!”.

A exemplo dos últimos anos a Volta a Portugal passa pelas terras do Minho e Tiago Machado referiu que “é sempre um grande orgulho poder pedalar na minha região e ainda por cima numa prova como a nossa Grandissima!”.

JOÃO BENTA: “MELHORAR A MINHA GERAL E QUEM SABE GANHAR ALGUMA ETAPA”

João Benta, ciclista de Esposende que alinha na Rádio Popular-Boavista, parte determinado a melhorar a classificação geral obtida nas edições anteriores da Volta a Portugal.

Na edição do ano passado o ciclista de Esposende terminou na sexta posição da geral individual e venceu a etapa oito que ligou Viana do Castelo a Felgueiras.

Este ano a ideia “é melhorar a minha classificação geral e quem sabe ganhar alguma etapa”, referiu João Benta, que adiantou que “encaro a Volta com tranquilidade e vontade de fazer sempre melhor do que nos anos anteriores”.

Preparado para a Volta a Portugal? “Sempre preparado e pronto para ir para a estrada” disse João Benta, que se mostrou feliz por ver a prova rainha velocipédica passar por terras minhotas “é sempre muito bom sentir o carinho dos minhotos. Sentimo-nos em casa”.

A Volta a Portugal começa este ano em Fafe com um prólogo “que tem uma parte dura” referiu João Benta, que considera que “o importante é não perder tempo para os candidatos”.

DAVID RIBEIRO: “SE ME DEREM LIBERDADE IREI TENTAR ENTRAR EM FUGAS…”

“Espero bem que esteja preparado” foi assim que David Ribeiro, ciclista de Famalicão que alinha na LA Alumínios/LA Sport, começou por abordar a prova que este domingo vai para a estrada.

David Ribeiro confessou que “claro que existe sempre aquele nervoso miudinho, mas acaba por ser uma coisa boa”.

Quanto a objetivos: “passa por ajudar a equipa ao máximo. Temos uma equipa boa e unida e eles podem contar comigo para os ajudar o máximo possível” disse David Ribeiro, que adiantou que “se me derem liberdade irei tentar entrar em fugas ao longo dos dias”.

Para David Ribeiro o facto da Volta a Portugal passar pelo Minho: “é muito especial” e adiantou que “são estradas que percorro quase diariamente. É um ano atípico e é triste saber que no início e fim das etapas não tenho os meus amigos e familiares comigo, mas a Volta estar na estrada é o ponto principal”.

CÉSAR FONTE: “A EQUIPA VAI COM O OBJETIVO DE ESTAR NA DISCUSSÃO DA CORRIDA”

César Fonte, ciclista de Viana do Castelo que alinha na EFAPEL, mostra-se satisfeito por, finalmente, poder ir para a estrada e correr a Volta a Portugal em bicicleta.

O ciclista vianense diz-se preparado: “o trabalho está feito agora é ir para a estrada e tentar fazer o melhor”.

Depois de um ano atípico em que as provas estiveram suspensas, em que se realizaram algumas competições de um dia, mas distantes umas das outras, finalmente, os ciclistas conseguem disputar dois grandes eventos num curto espaço de tempo…“e isso é, este ano, muito especial. Já tivemos outras provas, mas todas de um dia o que acaba por ser diferente de uma corrida de dias, por etapas. O GP Torres Vedras em termos de organização correu tudo bem e agora esperemos que na Volta também corra tudo pelo melhor”.

“Nós ciclistas e equipas bem necessitamos de dias de competição para sobreviver a este ano difícil. Ainda bem que a Volta a Portugal vai para a estrada. É, sem dúvida, muito importante para o nosso ciclismo” disse ainda César Fonte.

Quanto a objetivos, o ciclista de Viana do Castelo referiu que “pessoalmente o objetivo passa por estar na minha melhor forma física para apoiar o líder da equipa, Joni Brandão. A equipa vai com o objetivo de estar na discussão da corrida e, para isso, é necessário que toda a equipa se encontre na melhor forma. A Volta é sempre uma corrida muito dura e com um nível bastante elevado onde tudo pode acontecer”.

E como é teres a chegada de uma etapa em Viana do Castelo? “É sempre gratificante. Viana do Castelo é uma terra de ciclismo e que tem apoiado muito o ciclismo nos últimos anos. Este ano será, novamente, um momento especial poder ter uma chegada à minha cidade e ainda mais quando quilómetros antes passará também na minha terra Vila Franca. Sem dúvida alguma que acaba sempre por ser a etapa mais aguardada por mim e pelos meus amigos e familiares”.

PEDRO MIGUEL LOPES: “ESTOU MUITO MOTIVADO”

“Estou muito motivado, pois a Volta a Portugal é a corrida mais importante do calendário português” disse Pedro Miguel Lopes, ciclista de Guimarães que alinha na Kelly/InOutBuild.

Pedro Miguel Lopes, que se estreou na Volta a Portugal na edição de 2019, referiu que “penso que fiz um bom trabalho até agora. Resta-me esperar e ver o que acontece”.

“Parto com o objetivo de ajudar os líderes da minha equipa. Temos atletas em grande forma que conseguem realizar uma grande volta”, disse ainda o ciclista de Guimarães.

A Volta a Portugal arranca este domingo de Fafe, com um prólogo exigente: “sinto-me confortável no prólogo e parece-me que a Volta a Portugal tem um bom percurso. Os primeiros quatro dias são muito duros e exigentes, vamos ver como corre”.

JOÃO MATIAS: “O MAIS IMPORTANTE É SAIRMOS PARA A ESTRADA”

“O mais importante desta Volta é sairmos para a estrada depois de tanta incerteza! Só por isso já sinto que é um triunfo e tem de se dar os parabéns a toda a gente que fez força para ir para a frente”, começou por referir João Matias, ciclista de Barcelos que alinha na Aviludo-Louletano.

João Matias referiu ainda que “na nossa equipa Aviludo – Louletano temos um líder com capacidade para estar na disputa pela geral e vamos todos trabalhar para que se mantenha nessa posição até final!”.

“Quanto a mim acredito que posso estar na disputa de etapas ao sprint, mas os objetivos da equipa estão em primeiro lugar!”.

Comentários

Artigos relacionados

Botão Voltar ao Topo

COVID-19

Nas áreas afetadas, a Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda medidas de higiene e etiqueta respiratória para reduzir a exposição e transmissão da doença: • Medidas de etiqueta respiratória: tapar o nariz e a boca quando espirrar ou tossir, com um lenço de papel ou com o antebraço, nunca com as mãos, e deitar sempre o lenço de papel no lixo; • Lavar as mãos frequentemente. Deve lavá-las sempre que se assoar, espirrar, tossir ou após contacto direto com pessoas doentes. Deve lavá-las durante 20 segundos (o tempo que demora a cantar os “Parabéns”) com água e sabão ou com solução à base de álcool a 70%; • Evitar contacto próximo com pessoas com infeção respiratória; • Evitar tocar na cara com as mãos; • Evitar partilhar objetos pessoais ou comida em que tenha tocado. Seja responsável, faça a sua parte. Respeite o isolamento social. #JUNTOSVENCEREMOS