BASQUETEBOL

Armando Andrade: “o grande objetivo é a subida à Proliga”

“O grande objetivo para a nova época é a subida à Proliga” disse Armando Andrade, treinador do Famalicense AC, clube que milita no Campeonato Nacional da I Divisão Masculino de Basquetebol e que se encontra a trabalhar há cerca de três semanas.

O técnico do conjunto famalicense salientou que “claro que não sabemos como vai decorrer a época, é ainda tudo muito incerto. A própria competição mudou e pode trazer alterações na forma como vão decorrer os campeonatos”.

Seja como for “quando me convidaram para assumir este projeto já foi com o objetivo de subir a Proliga. O Famalicense tem um projeto constante, uniforme, tem a sua política de reforços, não é uma aposta muito forte porque queremos criar um projeto alicerçado e seguro para que as coisas aconteçam normalmente. O que temos visto, muitas vezes, é que aparecem projetos pontuais, com grandes investimentos e que apostam tudo na subida naquele ano, deixando uma margem de manobra muito pequena para os outros clubes. Apesar do ano atípico porque estamos a passar, afiguram-se dois projetos desses para a nova época e isso pode dificultar a nossa aposta”, mas “a nossa meta é fazer crescer este projeto e estar na disputa pela subida à Proliga. Se o vamos conseguir, não sei”.

“TEMOS UM GRUPO E ISSO PODE FAZER A DIFERENÇA”

Afirmando que “temos condições para estar na luta”, Armando Andrade adiantou que “temos um grupo de atletas com muita experiência, jogadores muito fortes. São atletas jovens, mas com experiência que nos dão garantias para estarmos na luta. Não temos um ou dois jogadores que fazem a diferença, nem fomos ao estrangeiro buscar jogadores. Temos um estrangeiro, mas já jogava em Portugal. Não tendo esses jogadores pontuais, temos um grupo e isso pode fazer a diferença”.

O treinador famalicense referiu ainda que “a base deste plantel já joga junta há quatro, já tem alguma experiência e dá-nos garantias para andar a lutar pelos primeiros lugares. Não podem subir todos, entre 14 equipas só sobe uma e, por isso, a tarefa não é fácil, mas pode contar que vamos lutar para andar lá em cima”.

ARMANDO ANDRADE SATISFEITO COM EMPENHO DOS ATLETAS

O Famalicense já se encontra a treinar há cerca de três semanas e Armando Andrade garante que está satisfeito…

“Estou satisfeito com o trabalho que estamos a fazer. Nós mudamos um pouco a estrutura da equipa, temos algumas alterações no grupo e integramos alguns jovens da formação, que é aliás a grande aposta do Famalicense”, disse o técnico.

Armando Andrade referiu ainda que “alteramos um pouco a nossa estrutura. Incorporamos atletas novos, oriundos da formação, e dois atletas para a o jogo exterior, que até aqui não tínhamos. Hoje temos um plantel bastante mais completo. É um facto que temos um grupo com 50 por cento de gente nova. Temos mais trabalho para fazer, mas acaba por ser mais aliciante”.

“NOTA-SE UM GRANDE ESFORÇO DA DIREÇÃO”

Armando Andrade garante que “as coisas estão a correr muito bem” e salienta o papel da direção da secção e do clube neste retomar do Basquetebol em tempo de pandemia.

“Eu, particularmente, estou satisfeito com o trabalho e com o empenho que a direção tem tido, mesmo nestes tempos difíceis porque estamos a passar. Em março, quando tudo parou, a dúvida pairou sobre a modalidade e as dificuldades financeiras foram aparecendo. Sabemos que não tem sido fácil, mas a verdade é que a direção do Famalicense tem feito de tudo para que as coisas aconteçam como se nada se passasse. As condições que temos são as mesmas que tínhamos antes da pandemia, exceto, claro, as regras sanitárias que temos de cumprir. Nota-se um grande esforço por parte da direção para que tudo decorra o mais normal possível e para manter a aposta na modalidade e na equipa. Nesse aspeto estamos bem”.

“ENQUANTO NOS DEIXAREM VAMOS TRABALHAR”

Agora “a equipa tem de continuar a trabalhar” disse Armando Andrade, que salientou que “vai ser um ano muito diferente do que estamos habituados. São muitas as dúvidas do que vai acontecer. Sabemos que a qualquer momento nos podem mandar parar. Mas enquanto nos deixarem vamos trabalhar. Neste momento, estamos a trabalhar a 100 por cento”.

O Famalicense já tem feito alguns jogos treinos e o técnico referiu que “gostei muito da resposta dos atletas. A equipa respondeu muito bem em termos táticos e mentais. Os resultados mostram que temos uma equipa ambiciosa e que sabe bem o que quer. No segundo jogo, até porque foi poucos dias depois do primeiro, a equipa ressentiu-se fisicamente, mas em termos mentais, qualidade de jogo, assimilação da ideia do jogo esteve muito bem. Fiquei muito satisfeito”.

RECEIOS PARA A NOVA ÉPOCA

Tem algum receio para a nova época? “Neste momento de instabilidade o receio é que a pandemia nos impeça de continuar a trabalhar e a jogar. Se olharmos para época, como um ano normal, então o receio prende-se com as lesões. Não temos um grupo alargado e qualquer baixa pode deixar marcas na equipa. Por outro lado, temos as apostas fortíssimas que andam a fazer por aí”.

De resto “é trabalhar, trabalhar e trabalhar. Não tenho medo do trabalho, tenho já muita experiência de Basquetebol e uma grande confiança no trabalho que estamos a fazer”.

Comentários

Artigos relacionados

Botão Voltar ao Topo

COVID-19

Nas áreas afetadas, a Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda medidas de higiene e etiqueta respiratória para reduzir a exposição e transmissão da doença: • Medidas de etiqueta respiratória: tapar o nariz e a boca quando espirrar ou tossir, com um lenço de papel ou com o antebraço, nunca com as mãos, e deitar sempre o lenço de papel no lixo; • Lavar as mãos frequentemente. Deve lavá-las sempre que se assoar, espirrar, tossir ou após contacto direto com pessoas doentes. Deve lavá-las durante 20 segundos (o tempo que demora a cantar os “Parabéns”) com água e sabão ou com solução à base de álcool a 70%; • Evitar contacto próximo com pessoas com infeção respiratória; • Evitar tocar na cara com as mãos; • Evitar partilhar objetos pessoais ou comida em que tenha tocado. Seja responsável, faça a sua parte. Respeite o isolamento social. #JUNTOSVENCEREMOS