CICLISMO

Paulo Abreu falha Taça Portugal de Downhill

Paulo Abreu (Stromp), ciclista de Guimarães que alinha na AXPO/ FirstBike Team / Vila do Conde, vai falhar a primeira prova da Taça de Portugal de Downhill, que se realiza domingo na pista de Arimbo, S. Brás de Alportel.

Paulo Abreu está ainda a recuperar de uma lesão contraída durante o treino e que o obriga a ficar de fora da Taça de Portugal de DHI.

“Esta prova vou ter de falhar devido a uma pequena lesão”, disse Paulo Abreu, que regressa, no entanto, para a Taça de Enduro: “tenho em foco a Taça de Enduro, que se realiza no fim de semana seguinte em Lorvão”.

Paulo Abreu está mais apostado nas provas de Enduro, até porque a lesão não lhe permite estar em todas as provas a 100 por cento: “estou a preparar e a escolher da melhor forma as provas, pois esta pequena lesão está a limitar-me um pouco”, mas o ciclista de Guimarães não descura a participação no Campeonato Nacional de DHI, que se realiza na Penha “a correr e a jogar em casa é  sempre prioridade. Vamos ver como corre até lá, ainda existe muito trabalho pela frente”.

Quanto aos objetivos: “a minha prioridade é o Enduro, mas não defino objetivos antecipados. Representar bem a minha equipa, ajudar a pontuar e fundamentalmente diverti-me. Pessoalmente vou dar o meu melhor”.

O Downhill e o Enduro são as duas vertentes do ciclismo que ainda não tiveram qualquer prova. Paulo Abreu condessa que a falta de um calendário levou a algum facilitismo na preparação.

“Foram meses de algum facilitismo até termos datas. Assim que o rumo foi traçado foi começar a apertar com os treinos e habituação as bikes”, mas “pelo meio desses treinos surgiu uma queda me limitou um pouco e vai-me fazer perder esta primeira prova com o objetivo de estar bem para o a minha aposta principal que é o Enduro. Depois da prova da Taça de Portugal de Enduro vou focar-me no Campeonato Nacional DHI, que se realiza na Penha”.

Comentários

Artigos relacionados

Botão Voltar ao Topo

COVID-19

Nas áreas afetadas, a Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda medidas de higiene e etiqueta respiratória para reduzir a exposição e transmissão da doença: • Medidas de etiqueta respiratória: tapar o nariz e a boca quando espirrar ou tossir, com um lenço de papel ou com o antebraço, nunca com as mãos, e deitar sempre o lenço de papel no lixo; • Lavar as mãos frequentemente. Deve lavá-las sempre que se assoar, espirrar, tossir ou após contacto direto com pessoas doentes. Deve lavá-las durante 20 segundos (o tempo que demora a cantar os “Parabéns”) com água e sabão ou com solução à base de álcool a 70%; • Evitar contacto próximo com pessoas com infeção respiratória; • Evitar tocar na cara com as mãos; • Evitar partilhar objetos pessoais ou comida em que tenha tocado. Seja responsável, faça a sua parte. Respeite o isolamento social. #JUNTOSVENCEREMOS