NATAÇÃO

SC Braga inicia época com confiança

O SC Braga regressa esta terça-feira aos treinos de preparação na piscina, depois de uma paragem de duas semanas. Nesta primeira fase vão trabalhar a equipa Absoluta, os Infantis e o Masters, que não chegaram a parar uma vez que participam a 12 de setembro no MIUS – Madeira Island Ultra-Swim.

Nos próximos 15 dias os treinos vão decorrer na piscina exterior, já que a piscina interior está a sofrer algumas obras de remodelação. As restantes equipas regressam aos treinos no dia 14 de setembro.

Luís Cameira, coordenador técnico do SC Braga, mostra-se confiante para uma época que não tenha de normal e que é marcada pela incerteza no futuro.

“As perspetivas para a nova época são, a exemplo de tudo o resto, incertas. Não sabemos bem o que vai acontecer amanhã. Claro que não vamos estar a pensar no que se está a passar, vamos começar a trabalhar tendo já como foco as competições que estão marcadas”, começou por referir Luís Cameira.

BOA ADESÃO DOS NADADORES

O técnico do SC Braga lembrou que “nós tivemos uma boa recetividade dos atletas no retomar dos treinos e contamos com todos neste regresso depois de duas semanas de férias. Também contamos ter uma boa adesão nas Escolas, até porque as inscrições estão a correr em bom ritmo e temos tido muitos pedidos novos”. Claro que “com as muitas restrições impostas pela DGS, os intervalos que temos de ter para a higienização dos espaços, etc, vai dificultar muito o nosso trabalho. Vamos ter de ter menos turmas, com menos atletas e menos horários. Não vai ser uma época normal”.

Luís Cameira sabe que “tudo isto vai ter os seus reflexos em termos de ensino, de captação e económico, mas são regras que temos de seguir para bem de todos”.

“VAMOS PREPARAR AS EQUIPAS PARA OS GRANDE OBJETIVOS”

Quanto à competição, Luís Cameira refere que “com tudo isto não podemos traçar grandes metas. Felizmente já temos um calendário de provas nacional e vamos trabalhar em função disso. Vamos preparar as equipas para esses grandes objetivos”.

Luís Cameira parte para a nova época com alguns receios: “o receio existe, a realidade hoje em dia é esta que vivemos, mas vamos trabalhar sem pensar muito nisso. Não vamos começar a treinar a pensar nas incertezas. Temos competições marcadas e vamo-nos focar nelas. Temos de nos preparar o melhor possível para as primeiras competições nacionais que são já em novembro e depois temos o Campeonato Nacional de Clubes e temos de estar preparados e motivados quando lá chegarmos”.

Até porque “os atletas regressam agora à sua normalidade, que é levantar cedo para treinar, abdicar um pouco dos estudos ou de outras coisas que gostam de fazer e, por isso, não vamos estar a falar de incertezas. Vamo-nos focar nas competições que estão marcadas”.

OPEN DE LOULÉ: “FIQUEI MUITO SATISFEITO”

De resto, os atletas e os clubes já perceberam que é possível fazer-se competições: “o Open do Algarve foi uma boa forma de mostrar que se podem realizar as competições”.

O Open do Algarve serviu ainda para avaliar o trabalho feito na retoma da natação e Luís Cameira saiu do Algarve satisfeito com o desempenho dos dois nadadores que estiveram presentes, José Paulo Lopes e Rafael Simões. “Fiquei muito satisfeito, eles superaram todas as expetativas. Deram boas indicações quanto ao futuro e penso que vão ser uma alavanca para o resto do grupo neste regresso aos trabalhos”, referiu Luís Cameira.

JOSÉ PAULO LOPES À PROCURA DOS MÍNIMOS PARA OS J.O.

Para a nova época José Paulo Lopes parte com o objetivo claro de fazer os mínimos para os Jogos Olímpicos de Tóquio…

“O José Paulo Lopes está muito bem, fez um Open de Loulé muito positivo e está, claramente, a trabalhar para conseguir os mínimos para os Jogos Olímpicos. Esse é o grande objetivo para este ano”.

TAMILA HOLUB EM FRANCA RECUPERAÇÃO

Entretanto, Tamila Holub está em franca recuperação do problema de saúde que a afastou, inclusive, do estágio da Seleção Nacional e do Open de Loulé. A nadadora já está a trabalhar há 15 dias e “já está muito mais forte. Ela própria já se sente com mais força e mais resistência”.

Apesar de todas as restrições e das incertezas que marcam o dia a dia, Luís Cameira afirma-se “muito confiante para esta época. O regresso ao trabalho é já na terça-feira e depois é trabalhar dentro da nova normalidade que temos”.

Comentários

Artigos relacionados

Botão Voltar ao Topo

COVID-19

Nas áreas afetadas, a Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda medidas de higiene e etiqueta respiratória para reduzir a exposição e transmissão da doença: • Medidas de etiqueta respiratória: tapar o nariz e a boca quando espirrar ou tossir, com um lenço de papel ou com o antebraço, nunca com as mãos, e deitar sempre o lenço de papel no lixo; • Lavar as mãos frequentemente. Deve lavá-las sempre que se assoar, espirrar, tossir ou após contacto direto com pessoas doentes. Deve lavá-las durante 20 segundos (o tempo que demora a cantar os “Parabéns”) com água e sabão ou com solução à base de álcool a 70%; • Evitar contacto próximo com pessoas com infeção respiratória; • Evitar tocar na cara com as mãos; • Evitar partilhar objetos pessoais ou comida em que tenha tocado. Seja responsável, faça a sua parte. Respeite o isolamento social. #JUNTOSVENCEREMOS