BASQUETEBOL

Tiago Pereira com esperança “numa boa época”

“Fazer uma boa época” é o grande objetivo de Tiago Pereira, um dos atletas que o Famalicense AC promove este ano à equipa Sénior de Basquetebol.

O jogador, de 18 anos, fez a sua estreia na equipa principal no início do ano, dividindo-se entres os Sub-18 e os Seniores, que militam no Campeonato Nacional da I Divisão (CNB1).

Tiago Pereira parte para a nova temporada “com a esperança de fazer uma boa época. As perspetivas são as melhores possíveis”.

O jovem de Famalicão garante que “adaptei-me bem à equipa Sénior e, por isso, este ano quero fazer mais, mostrar mais do que na época passada. Digamos que o ano passado foi uma experiência e agora já é mais a sério, portanto, tenho de conseguir dar mais”.

PRENDA DE ANIVERSÁRIO

Tiago Pereira confessa que “o meu objetivo, desde que entrei no Basquetebol, sempre foi chegar à equipa Sénior. Fui chamado enquanto atleta dos Sub-18 e fui bem recebido, integrei-me bem”, mas “no primeiro treino estava super nervoso”.

“Ainda por cima o meu primeiro treino foi no dia do meu aniversário. Foi como uma prenda de anos. Claro que fui logo praxado, mas isso faz parte da convivência da equipa”, referiu Tiago Pereira, que acrescentou “os atletas dos Seniores ainda não me conheciam e receberam-me muito bem”.

Tiago Pereira lembra que o primeiro impacto foi “muito forte” porque “o escalão Sénior é completamente diferente dos Sub-18. É o ritmo de jogo, a duração dos treinos, o ambiente, as pessoas são diferentes e anda tudo a uma alta velocidade. Não estava minimamente preparado e ao início custou-me um bocadinho”.

“Depois eu acabei por estar nos dois escalões ao mesmo tempo. Treinava e jogava pelos Seniores e pelos Sub-18. Era muita carga física e como estou no curso de desporto e nas aulas era só desporto ainda desgastava mais”, lembra Tiago Pereira, que acrescentou: “foi difícil ao princípio e desgastante, mas depois as coisas normalizaram, até porque as nossas  jogadas nos Sub-18 eram parecidas com as nos Seniores e aí já estava mais à vontade. Quando via as jogadas já me identificava”.

O AMULETO DA SORTE

Tiago Pereira ‘reforçou’ a equipa Sénior quando o Famalicense estava com dificuldades de se impor no Campeonato Nacional da I Divisão. A entrada o jovem de 18 anos coincidiu com a reviravolta nos resultados…

“Na equipa quase que era considerado o amuleto da sorte” lembra em tons de brincadeira Tiago Pereira, que adiantou: “o Famalicense estava numa fase menos positiva e a partir do momento em que cheguei as coisas começaram a melhorar… aliás em todos os jogos que participei ganhamos sempre”.

Depois surgiu a pandemia… “numa primeira fase até reagi bem à pandemia porque estava lesionado e a paragem do campeonato permitia-me recuperar e não me atrasar muito em relação aos meus colegas”, mas “depois o tempo foi passando, as competições e os treinos foram suspensos e custou-me muito, até porque estava habituado a ter desporto todo o dia e de repente nada”.

“CHEGAR O MAIS LONGE POSSÍVEL”

Tiago Pereira, que entrou no Basquetebol por acaso, pretende subir todos os degraus que puder na modalidade.

“Pretendo ir o mais longe que conseguir” garantiu o jovem famalicense, que acrescentou que “fiz a formação no Famalicense e o meu objetivo era chegar à equipa Sénior. Agora é dar tudo, aprender o máximo e tentar superar-me em casa treino, cada jogo”.

A Seleção Nacional está nos seus horizontes? “Chegar à Seleção Nacional é o sonho de qualquer atleta, em qualquer modalidade. Acho que é algo difícil de alcançar, mas se treinar muito e bem quem sabe?” disse Tiago Pereira, que explicou que “não é fácil chegar a uma Seleção Nacional, tem de se jogar a outro nível, ter uma disponibilidade total para o Basquetebol. Não digo que seja impossível, mas é muito difícil”.

Tiago Pereira está no Basquetebol há seis anos e lembra que “vim para o Basquetebol por acaso. Eu já estava no Famalicense, mas praticava Voleibol. Um amigo desafiou-me a ir aos treinos de Basquetebol com ele. Ainda eram aqueles treinos de brincadeira, achei piada e mudei. Entrei no Basquetebol e desde então nunca mais saí. É o meu desporto de eleição”.

TREINOS EM TEMPO DE CONFINAMENTO

 A pandemia do Covid-19 trouxe uma nova realidade ao mundo do desporto. Os treinos presenciais no pavilhão, no caso do Basquetebol, foram substituídos pelos treinos online.

“Quando foi declarada a pandemia estava lesionado, mas mal recuperei comecei a treinar em casa sozinho. Depois o clube adaptou os planos de treino e começamos, nos Sub-18, a fazer treinos por vídeo chamada. Entretanto, tive de parar de treinar durante algum tempo por causa do estágio, mas já regressei aos trabalhos. Já estou a ser seguido, faço fisioterapia, reforço muscular, tudo para estar apto quando começarem os treinos”.

CONCILIAR ESTUDOS E BASQUETEBOL

Tiago Pereira teve um ano muito preenchido. O atleta dividia-se entre os estudos e o Basquetebol, entre Famalicão e Póvoa de Varzim.

“Não foi muito fácil de conciliar tudo. Sou de Famalicão, estudo na Póvoa de Varzim e treinava em Famalicão. Chegada a casa por volta das 19.30 horas e era sempre a correr para ir para o treino. Só parava em casa para comer e dormir”, mas o esforço compensou: “terminei o curso profissional de técnico de desporto e agora candidatar-me a Universidade ao curso de Educação Física e Desporto. Vamos ver como corre”.

Comentários

Artigos relacionados

Botão Voltar ao Topo

COVID-19

Nas áreas afetadas, a Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda medidas de higiene e etiqueta respiratória para reduzir a exposição e transmissão da doença: • Medidas de etiqueta respiratória: tapar o nariz e a boca quando espirrar ou tossir, com um lenço de papel ou com o antebraço, nunca com as mãos, e deitar sempre o lenço de papel no lixo; • Lavar as mãos frequentemente. Deve lavá-las sempre que se assoar, espirrar, tossir ou após contacto direto com pessoas doentes. Deve lavá-las durante 20 segundos (o tempo que demora a cantar os “Parabéns”) com água e sabão ou com solução à base de álcool a 70%; • Evitar contacto próximo com pessoas com infeção respiratória; • Evitar tocar na cara com as mãos; • Evitar partilhar objetos pessoais ou comida em que tenha tocado. Seja responsável, faça a sua parte. Respeite o isolamento social. #JUNTOSVENCEREMOS