CICLISMO

Gaspar Silva “é com muita tristeza que não podemos participar no GP Minho”

“É com muita tristeza que não podemos participar, este ano, numa das provas por etapas mais bem organizadas do país para a formação” foi assim que Gaspar Silva, diretor desportivo da Tensai/Sambiental/Santa Marta se referiu ao Grande Prémio do Minho, prova que se deveria realizar entre hoje e domingo em vários pontos do Minho.

O 32.º Grande Prémio do Minho deveria envolver cerca de centena e meia de atletas do escalão Júnior e esperava-se, a exemplo do que aconteceu nos últimos anos, a presença de várias equipas estrangeiras. O ano passado participaram na prova 24 equipas, 17 portuguesas, uma belga, uma colombiana e cinco espanholas, que levaram a competição, com muita animação, a Melgaço (duas etapas), Guimarães e Vieira do Minho.

“CLARO QUE SENDO NO MINHO A AMBIÇÃO É SEMPRE MAIOR”

A Tensai/Sambiental/Santa Marta é uma das equipas que tem marcado presença no GP Minho ao longo dos anos. Gaspar Silva considera que a prova tem uma grande importância na preparação dos atletas para o futuro…

“Este tipo de competições permite aos atletas evoluir e prepararem-se para o futuro nos Sub-23” disse aquele responsável, que salientou que  “claro que sendo no Minho, para a nossa equipa e para os nossos atletas, a ambição é sempre maior. Estamos em casa, nas nossas estradas, com o apoio das nossas famílias e amigos. A visibilidade para os nossos patrocinadores também é maior, pois o nível da competição é grande, o que leva a uma maior divulgação nos meios de comunicação social”.

ACIDENTE DE GONÇALO FONTE MARCOU PARTICIPAÇÃO DE 2019

O 31.º Grande Prémio do Minho não correu da melhor forma para a formação de Viana do Castelo. Gonçalo Fonte, uma das jovens promessas da equipa, sofreu um aparatoso acidente que o atirou para o hospital durante bastante tempo…

“A prova do último ano não deixou boas recordações… infelizmente uma das nossas maiores promessas, o Gonçalo Fonte, sofreu uma queda bastante grave e isso veio afetar toda a equipa”, recorda Gaspar Silva.

“CAMINHA PARA SER A MELHOR COMPETIÇÃO PARA O ESCALÃO JÚNIOR NO PAÍS”

Sobre a prova em si, aquele responsável referiu que “a prova esteve muito bem organizada e mostrou melhorias significativas de um ano para o outro. Caminha para ser a melhor competição para o escalão Júnior do país e já com referência internacional”.

MARCO MARQUES FOI O MELHOR CLASSIFICADO

Da prova de 2019, o melhor ciclista da Tensai/Sambiental/Santa Marta foi Marco Marques, que terminou a competição no top20, tendo feito 13.º lugar na terceira e última etapa, que ligou Melgaço a Castro Laboreiro, numa extensão de 105,6 quilómetros. Marco Marques ficou a escassos 28 segundos da Camisola Branca (Melhor Atleta da ACM).

Marco Marques foi o melhor ciclista do Minho no Prémio do Montanha, ao classificar-se no 15.º posto.

Roberto Cardoso foi o melhor ciclista do Minho na classificação de Júnior de primeiro ano, ao classificar-se na oitava posição e a Tensai/Sambiental/Santa Marta, que, entretanto, tinha perdido Gonçalo Fonte devido ao acidente, concluiu o GP Minho na 10.ª posição entre as 24 equipas.

Comentários

Artigos relacionados

Botão Voltar ao Topo

COVID-19

Nas áreas afetadas, a Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda medidas de higiene e etiqueta respiratória para reduzir a exposição e transmissão da doença: • Medidas de etiqueta respiratória: tapar o nariz e a boca quando espirrar ou tossir, com um lenço de papel ou com o antebraço, nunca com as mãos, e deitar sempre o lenço de papel no lixo; • Lavar as mãos frequentemente. Deve lavá-las sempre que se assoar, espirrar, tossir ou após contacto direto com pessoas doentes. Deve lavá-las durante 20 segundos (o tempo que demora a cantar os “Parabéns”) com água e sabão ou com solução à base de álcool a 70%; • Evitar contacto próximo com pessoas com infeção respiratória; • Evitar tocar na cara com as mãos; • Evitar partilhar objetos pessoais ou comida em que tenha tocado. Seja responsável, faça a sua parte. Respeite o isolamento social. #JUNTOSVENCEREMOS