CICLISMO

Volta a Portugal de Cadetes cancelada

A Volta a Portugal de Cadetes em bicicleta está cancelada. A prova deveria realizar-se na zona centro do país entre o dia 31 de julho a dois de agosto mas foi cancelada devido à pandemia do coronavírus.

De referir que em 2019, Lucas Lopes, do BMC/Póvoa de Varzim/CDC Navais, foi o grande vencedor da prova que decorreu na zona de Abrantes, Castelo de Vide, Tomar e Ourém.

Em grande destaque na Volta a Portugal de Cadetes estiveram ainda Flávio Maurício e Sérgio Saleiro, da Seissa|KTM-Bikeseven|Matias&Araújo|Frulact, que terminaram na quarta e quinta posição, respetivamente, da geral individual.

De resto, Flávio Maurício venceu mesmo a terceira e última etapa da Volta a Portugal de Cadetes, numa extensão de 70,3 quilómetros, que ligou Tomar a Ourém. O Luso descendente já tinha brilhado na primeira etapa ao cortar a meta em segundo lugar. Sérgio Saleiro, que fez quinto lugar na etapa inaugural, subiu ao pódio na segunda, que teve partida e chegada a Castelo Vide numa extensão de 80 quilómetros.

Na última tirada da Volta a Portugal de Cadetes Flávio Maurício venceu, enquanto Jordan Felgueiras, também da Seissa, fez sétimo lugar.

Na Geral individual, Flávio Maurício ficou a 17s do pódio, enquanto Sérgio Saleiro foi quinto classificado a 59s do pódio.

Na classificação de Cadete de primeiro ano, Pedro Pinto (Seissa) foi o melhor minhoto, terminando na 26.ª posição.

Por equipas, a Seissa|KTM-Bikeseven|Matias&Araújo|Frulact fez segundo lugar. A E.C. Carlos Carvalho, que fez equipa com a Silva & Vinha / ADRAP / Sentir Penafiel, terminou no quinto lugar, enquanto a dupla Tensai / Sambiental / Santa Marta – C.C.Barcelos/A.F.F / Flynx ficou na 22.ª posição.

Flávio Maurício venceu a classificação por Pontos, conquistando assim a Camisola Verde. Sérgio Saleiro foi sétimo classificado.

Comentários

Artigos relacionados

Botão Voltar ao Topo

COVID-19

Nas áreas afetadas, a Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda medidas de higiene e etiqueta respiratória para reduzir a exposição e transmissão da doença: • Medidas de etiqueta respiratória: tapar o nariz e a boca quando espirrar ou tossir, com um lenço de papel ou com o antebraço, nunca com as mãos, e deitar sempre o lenço de papel no lixo; • Lavar as mãos frequentemente. Deve lavá-las sempre que se assoar, espirrar, tossir ou após contacto direto com pessoas doentes. Deve lavá-las durante 20 segundos (o tempo que demora a cantar os “Parabéns”) com água e sabão ou com solução à base de álcool a 70%; • Evitar contacto próximo com pessoas com infeção respiratória; • Evitar tocar na cara com as mãos; • Evitar partilhar objetos pessoais ou comida em que tenha tocado. Seja responsável, faça a sua parte. Respeite o isolamento social. #JUNTOSVENCEREMOS