CANOAGEM

Sete clubes minhotos à conquista do Campeonato Nacional de Esperanças

Sete clube e um total de 164 atletas minhotos disputam este sábado o Campeonato Nacional de Esperanças, que se realiza no Centro de Alto Rendimento (CAR), em Montemor-o-Velho.

CN Prado, GCDR Gemeses, CN Fão, Darque KC, CN Ponte de Lima, Rio Neiva – ADA e Viana GC são os clubes do Minho presentes no Campeonato Nacional de Esperanças, e todos eles procuram os lugare do pódio. CN Prado, Gemeses e CN Ponte apontam mesmo aos títulos.

Devido à pandemia, a Federação Portuguesa de Canoagem reduziu a participação dos clubes a um máximo de 65 atletas por prova, o que levou a corte de 50 por cento das inscrições em muitos escalões.

Mesmo assim, vão estar cerca de 450 atletas em competição, sendo que o CN Ponte de Lima é o clube com a maior comitiva, apresenta-se em Montemor-o-Velho com 54 atletas e o único que vai participar em todos os escalões. Gemeses (32) e CN Prado (31) seguem-se como os clubes mais representados.

De referir que o Campeonato Nacional de Esperanças 2020 disputa-se em moldes diferentes dos anos anteriores, desde logo só se disputam os títulos nacionais de embarcações individuais.

De forma a evitar a aglomeração simultânea de muitas pessoas no CAR de Montemor-o-Velho, as provas vão ser repartidas pelo período da manhã, com início às 10.30 horas e da tarde, que arrancam às 15.30h.

As provas de K1 Menores e Iniciados Masculinos e Femininos têm a distância de dois quilómetros e uma volta, o mesmo se aplicando às competições de C1 Infantis e Cadetes Femininos. Quanto às provas de K1 Infantis Masculinos e Femininos e C1 Infantis Masculinos percorrem duas voltas no total de quatro quilómetros. Na competição de K1 e C1 Cadetes Masculinos e K1 Cadetes Femininos, os canoístas cumprem seis quilómetros distribuídos por três voltas.

Comentários

Artigos relacionados

Botão Voltar ao Topo

COVID-19

Nas áreas afetadas, a Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda medidas de higiene e etiqueta respiratória para reduzir a exposição e transmissão da doença: • Medidas de etiqueta respiratória: tapar o nariz e a boca quando espirrar ou tossir, com um lenço de papel ou com o antebraço, nunca com as mãos, e deitar sempre o lenço de papel no lixo; • Lavar as mãos frequentemente. Deve lavá-las sempre que se assoar, espirrar, tossir ou após contacto direto com pessoas doentes. Deve lavá-las durante 20 segundos (o tempo que demora a cantar os “Parabéns”) com água e sabão ou com solução à base de álcool a 70%; • Evitar contacto próximo com pessoas com infeção respiratória; • Evitar tocar na cara com as mãos; • Evitar partilhar objetos pessoais ou comida em que tenha tocado. Seja responsável, faça a sua parte. Respeite o isolamento social. #JUNTOSVENCEREMOS