VOLEIBOL

Associação de Voleibol de Braga mostra-se ambiciosa em dia de festa

A Associação de Voleibol de Braga completa hoje 33 anos, uma data que não pode ser comemorada como habitualmente devido à pandemia. Mas para trás fica uma história muito positiva, quer em termos de resultados desportivos – e a AVB apesar de não ter muitos clubes consegue quase sempre entrar na luta pelos títulos nacionais, como aconteceu, aliás, este ano que não terminou -, quer no crescimento de praticantes.

Aliás dos últimos anos destaca-se, principalmente, o crescimento tanto a nível de clubes como de atletas. Outro dos pontos altos foi o regresso da Seleção Regional de Sub-15 Femininos, que ainda em fevereiro se juntou em Celorico de Basto para um Torneio Triangular com as Seleções da Galiza e Alentejo e Algarve. A AVB conseguiu ainda trazer a Braga jogos de apuramento para os europeus femininos e masculinos.

MÁRIO AZEVEDO “ESTAMOS COM UMA DINÂMICA ENGRAÇADA”

Mário Azevedo, presidente da Direção da Associação de Voleibol de Braga, refere que estes 33 anos ficam marcados “por altos e baixos. Ou seja, a Associação, ao longo da sua existência teve momentos em que parecia ‘abandonada’, a funcionar quase que só administrativamente. Um ponto de passagem de inscrições e pouco mais. Nesta fase, acho que conseguimos reanimar a AVB, estamos com uma dinâmica engraçada na organização de eventos, na comunicação com os clubes, árbitros, outras associações e a própria FPV. Esperemos continuar este trabalho, e que surja mais gente interessada nesta vida da associação para nos ajudar a dinamizar ainda mais”.

A pandemia veio mexer com toda a dinâmica da Associação de Voleibol de Braga, assim como com todos os outros desportos, mas Mário Azevedo não baixa os braços e diz-se atento e a pensar em alternativas…

“Ainda estamos para ver o impacto da pandemia no desporto de formação em geral e no voleibol em particular. Sabemos que muito provavelmente as receitas dos clubes devem descer, principalmente as oriundas dos patrocínios, pois as empresas também sofreram com a pandemia. Esperamos gradualmente regressar a uma normalidade possível. A nível competitivo, deverá haver diretrizes do governo que regulem a competição, mas deverá haver alterações a toda a dinâmica que os clubes estavam habituados na organização de jogos em casa. Nos torneios de Minivoleibol também deveremos ter que alterar o funcionamento a que estávamos habituados. Ainda não sabemos como, mas estamos atentos e a pensar nas alternativas”.

AVB COMUM CONJUNTO DE MEDIDAS PARA APOIAR OS CLUBES

Para já a Associação de Voleibol de Braga estuda uma forma de poder apoiar os clubes seus filiados nesta altura tão difícil para todos.

“Nesta fase estamos focados em pensar como pode contribuir a AVB para ajudar os clubes nesta fase complicada que vão atravessar. Estamos a pensar num conjunto de medidas, que poderá passar por baixar algumas taxas que os clubes pagam à AVB, de forma a conseguirmos amenizar junto dos clubes os efeitos da pandemia” disse Mário Azevedo.

O presidente da AVB garante que não estão a descurar a planificação da próxima época, apesar de todas as incertezas que ainda existem.

“Estamos a planificar a época, com tranquilidade, mas sem certezas. Pois todos esperamos que as competições possam iniciar na altura normal setembro/outubro, mas não há certezas de que realmente se possa fazer. Estamos crentes que sim, mas a incerteza continua”, referiu Mário Azevedo, que salientou que essa planificação tem de ser feita. Agora sabemos que poderá sofrer ajustes, e um plano B tem de existir. Sabemos o que queremos concretizar, tanto nós como os clubes querem voltar a competir, nos moldes do passado, e de certeza que vamos todos trabalhar para que isso seja possível. Vamos, no devido momento, mostrar a nossa planificação aos clubes, e articular com todos para que seja possível competir com a segurança desejada. Mas tal como disse, as orientações do governo para estas competições em pavilhão vão ser determinantes para efetuar esta planificação da melhor forma possível”.

“O ESTÁGIO DA SELEÇÃO DE CARNAVAL”

A última temporada, que deveria terminar por estes dias com a Gala da AVB, ficou a meio. O que destaque de mais positivo e que ficou por fazer?

“O último ano pareceu tão curto que parece que nada fizemos e que tudo ficou por fazer. De positivo, talvez o estágio da Seleção no Carnaval, e foi positivo todas as competições que conseguimos terminar para determinar os Campeões Regionais”.

“Por fazer, todas as outras competições que não terminaram ou iniciaram. A Taça da AVB em vários escalões, as competições de gira-volei e Kinder-Cup, e infelizmente a Gala dos Campeões, que ano após ano premeia os Campeões nas várias vertentes e que este ano não se pode realizar para os premiar convenientemente”.

Por realizar-se vai ficar ainda a época de verão do Voleibol: “nesta fase deveríamos estar a preparar o voleibol de Praia, mas ainda não há abertura para essas competições, mesmo ao ar-livre. E a planificação dessas etapas, desde a inscrição até à realização da prova, demora algum tempo que não me parece viável realizá-las este ano”.

“A AVB ESTÁ ATENTA E PRONTA A AJUDAR OS CLUBES”

Num ano totalmente atípico, Mário Azevedo deixa uma mensagem de otimismo aos clubes do dia do aniversário da associação “a AVB está atenta e pronta a ajudar os clubes na próxima época, dentro das nossas possibilidades. Tudo faremos para regressar à normalidade dentro dos pavilhões. Estamos atentos e a trabalhar para a possível normalidade”.

Comentários

Artigos relacionados

Botão Voltar ao Topo

COVID-19

Nas áreas afetadas, a Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda medidas de higiene e etiqueta respiratória para reduzir a exposição e transmissão da doença: • Medidas de etiqueta respiratória: tapar o nariz e a boca quando espirrar ou tossir, com um lenço de papel ou com o antebraço, nunca com as mãos, e deitar sempre o lenço de papel no lixo; • Lavar as mãos frequentemente. Deve lavá-las sempre que se assoar, espirrar, tossir ou após contacto direto com pessoas doentes. Deve lavá-las durante 20 segundos (o tempo que demora a cantar os “Parabéns”) com água e sabão ou com solução à base de álcool a 70%; • Evitar contacto próximo com pessoas com infeção respiratória; • Evitar tocar na cara com as mãos; • Evitar partilhar objetos pessoais ou comida em que tenha tocado. Seja responsável, faça a sua parte. Respeite o isolamento social. #JUNTOSVENCEREMOS