CANOAGEM

CN Fão com projeto revolucionário

O Clube Náutico de Fão tem em mãos um projeto revolucionário. O clube de Esposende criou condições, melhorou as infraestruturas, adquiriu material e avançou com o Centro de Excelência Desportiva e Escolar, aumentando ainda o número de atletas.

Com o objetivo claro de formar pessoas e atletas, a nova direção – composta maioritariamente por pais de atletas e elementos da anterior direção – deitou mãos à obra e criou um plano estratégico, mostrou-o e conseguiu reunir apoios, patrocinadores e parceiros e em poucos meses deu uma nova vida ao CN Fão, que hoje tem 70 atletas e o número promete continuar a subir, como se pode perceber pela adesão ao Campo de Férias, que arranca já no dia 29 de junho.

Os planos da nova direção não encerram com as obras que já estão em curso ou os projetos que estão em andamento… a partir de setembro entra uma nova fase e mais uma aposta para dinamizar o clube e servir a comunidade. Afinal a direção tem um mandato de dois anos e muitos projetos em mente…

ANTÓNIO PÁSCOA: “DOTAMOS O CLUBE DE CONDIÇÕES E INFRAESTRUTURAS CONDIGNAS”

A nova direção assumiu funções em janeiro e desde então revolucionou o clube, dotando-o de condições, infraestruturas condignas e fazendo disparar o número de atletas.

“O CN Fão é um clube com grande valência e um grande passado, mas que acabava por ter pouco mais de 20 atletas. Tinha umas instalações degradadas, a cafetaria estava encerrada, o ginásio e os balneários estavam devolutos. Tinha barcos e pagaiadas, mas desatualizadas” lembrou António Páscoa, diretor de Gestão, que adiantou que “a nova direção entrou e arregaçou as mangas. Em vez de dinamizar o CN Fão como um clube de competição, decidiu apostar no Centro de Elevado Rendimento Desportivo e Escolar”.

Para começar “avançamos com as obras nas nossas instalações. A cafetaria foi adjudicada a uma empresa local e vai ser explorada num ambiente familiar. O Coffee Náutico, do grupo Coffee Break estará disponível a partir de um julho para receber todos os pais e visitantes com serviço de cafetaria, padaria e pastelaria, assim como serviço de refeições saudáveis e gelados artesanais. Terá um horário alargado e servirá de apoio ao campo de férias”.

ORÇAMENTO DE 60 MIL EUROS

O CN Fão não ficou por aqui e “avançamos com a ampliação das nossas instalações. Refizemos os balneários, que hoje têm o dobro do espaço. Refizemos o ginásio e dotamo-lo com novas máquinas. Compramos uma frota de 20 barcos novos e fizemos ainda pequenas obras de remodelação e adaptação do espaço para criar o Centro de Apoio ao Estudo”.

Em obras e equipamentos, o CN Fão gastou mais de 60 mil euros e António Páscoa lembra que “este investimento só foi possível graças ao apoio e a ajuda incondicional d Câmara Municipal de Esposende e dos nossos parceiros e patrocinadores como é o caso da Emac -Volkswagen, Sipre e Impetus”.

CRIAÇÃO DO CENTRO DE EXCELÊNCIA DESPORTIVA E ESCOLAR

Com todo este investimento, a nova direção do CN Fão pretende “dinamizar o clube”, ao mesmo tempo que lhe deu outras valências “criamos o Centro de Elevado Rendimento, em que pretendemos criar um local seguro e com todas as condições para os atletas poderem estudar. Assim, os miúdos depois das aulas são transportados para o clube, onde podem até almoçar e depois, até às 18 horas, vão estudar. Temos professores contratados e já está a funcionar”.

A partir as 18 horas: “os atletas estão prontos para a sua prática desportiva”, mas aqui o CN Fão tem regras bem apertadas: “apenas os atletas com bom desempenho escolar passam para a parte desportiva, para os treinos diários, seja eles de canoagem, kayak polo, ginásio, natação (que se realiza na piscina municipal, mas onde são acompanhados por treinadores do clube). Os miúdos com mais dificuldades ou que não fizeram os trabalhos ficam no centro de estudo até às 19, 19.30h. Têm explicações individuais e só quando estiveram aptos é que regressam aos treinos durante a semana. Até lá treinam apenas ao fim de semana”.

CAMPO DE FÉRIAS BATE RECORDES

O CN Fão realiza entre o dia 29 de junho e 31 de agosto o seu Campo de Férias. Um evento que, ainda sem ter começado, já é um sucesso. No espaço de uma semana o clube viu encerradas as inscrições, inicialmente, limitadas a 30 crianças. Numa segunda fase o clube abriu novas vagas com lotação até 45 crianças, que também já estão esgotadas… “refizemos o plano e alargamos as vagas até 60, vamos ver como vai ficar, mas também não dá para muito mais”, referiu aquele responsável, que explicou que “aqui as crianças vão ter tempo para tudo. Temos o dia completamente planeado. Cumprindo as normas todas da DGS e com a supervisão e ajuda da CM Esposende desenvolvemos um mega campo de férias em que as crianças vão estar ao ar livre, a praticar uma atividade saudável”.

De resto, como é norma do CN Fão “aqui nenhuma criança com menos de 15 anos fica sozinha no rio, está sempre acompanhada do monitor, que é uma coisa que não acontece em muitos clubes de canoagem. Mas nós não permitimos que nenhuma atleta menor de 15 anos entre na água sozinho”.

Para poder acompanhar os atletas em todas as atividades, o CN Fão possuiu cinco treinadores para cobrir os agora 70 atletas.

Para o Campo de Férias, o CN Fão tem programadas atividades durante a manhã como canoagem, kayak polo, slalom e outras brincadeiras na água, enquanto de tarde os jovens têm outras atividades que podem não ser necessariamente desportivas.  Entre outras atividades estão previstas atividades como o futebol, voleibol, caminhadas, visitas de estudo, jogos de matraquilhos e  playstation, etc.

No final todos os miúdos que fizeram nove anos até ao final de 2020 podem participar nas Primeiras Pagaiadas como atletas federados do CN Fão, prova que decorre em outubro em Montemor-o-Velho.

“AUMENTO EXTRAORDINARIO DE ATLETAS”

O CN Fão viu disparar o número de atletas desde o início do ano. Em janeiro o número de atletas pouco passava dos 20 e hoje tem 70, sendo que 30 são de competição… com este crescimento o clube passou ser o maior do concelho de Esposende…

“É uma enorme satisfação ver a adesão das pessoas da zona a este projeto. Na verdade, não havia uma oferta para que os miúdos pudessem praticar um desporto. Dos 70 atletas cerca de 85 por cento são jovens de Fão, Apúlia, Fonte Boa e do lado sul de Esposende. O CN Fão está a fazer o que lhe compete numa lógica de proximidade. Havia uma necessidade que foi suprima pelo clube. O que estamos a fazer dá muito trabalho, mas tem sido muito compensador”, referiu António Páscoa, que lembrou que “tudo isto é fruto da teimosia e da capacidade de trabalho desta direção e dos apoios fundamentais que temos recebido”.

REAÇÃO POSITIVA DA COMUNIDADE

Para António Páscoa “a forma incondicional como nos apoiaram coloca-nos uma pressão muito grande e nós queremos corresponder”, mas salienta que “mais importante não são os resultados desportivos. O melhor resultado que se pode ter é ver os miúdos a praticar desporto e felizes. É ver os miúdos que passam pelo clube terem sucesso na vida e no desporto”.

A reação das pessoas na zona de Esposende não podia ser melhor “aqui não se fala de outro assunto e quem passa na ponte e olha para o rio pode ver os 50 barcos na água, ali tão perto. As pessoas foram vendo o que estamos a fazer e têm aderido à ideia. Nos últimos anos Fão tem visto a desaparecer as Associações e agora o CN Fão rejuvenesceu e é já o maior clube náutico, em termos de atletas, do concelho.

NOVOS PROJETOS

Com um mandato de dois anos a direção que tem em Miguel Pedras, o diretor desportivo, e António Páscoa, o diretor de gestão, espera avançar com um novo projeto já a partir de setembro…

“Esperamos consolidar tudo o que estamos a fazer até setembro e aí avançar com outros projetos. Precisamos de mais espaço. As normais impostas pela DGS obrigam a que a parte interior (como balneários, estudos) seja reforçada em temos de espaço. Para isso contamos com o apoio habitual dos nossos parceiros. Vamos tentar aumentar as instalações do Centro de Estudos. Para já a capacidade é de 20 atletas, mas já temos pré-inscritos 40 para setembro e para os conseguir integrar no Centro temos de ter mais espaço” referiu aquele responsável.

António Páscoa lembra que “este é um caminho para se ir fazendo. O que vai determinar até onde podemos ir é número de atletas, o apoio dos parceiros e a necessidade da comunidade” e adiantou que “o que precisarem, nós estamos disponíveis para tratar e a nossa dimensão é a que a comunidade achar que merecemos”.

Comentários

Artigos relacionados

Botão Voltar ao Topo

COVID-19

Nas áreas afetadas, a Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda medidas de higiene e etiqueta respiratória para reduzir a exposição e transmissão da doença: • Medidas de etiqueta respiratória: tapar o nariz e a boca quando espirrar ou tossir, com um lenço de papel ou com o antebraço, nunca com as mãos, e deitar sempre o lenço de papel no lixo; • Lavar as mãos frequentemente. Deve lavá-las sempre que se assoar, espirrar, tossir ou após contacto direto com pessoas doentes. Deve lavá-las durante 20 segundos (o tempo que demora a cantar os “Parabéns”) com água e sabão ou com solução à base de álcool a 70%; • Evitar contacto próximo com pessoas com infeção respiratória; • Evitar tocar na cara com as mãos; • Evitar partilhar objetos pessoais ou comida em que tenha tocado. Seja responsável, faça a sua parte. Respeite o isolamento social. #JUNTOSVENCEREMOS