NATAÇÃO

Comité Olímpico de Portugal deixa palavra de esperança ao SC Braga

“Estamos aqui para transmitir uma palavra de esperança e confiança aos atletas, aos treinadores e aos clubes que estão envolvidos no projeto Olímpico” disse José Manuel Constantino, presidente do Comité Olímpico de Portugal, que esta tarde visitou o SC Braga nas Piscinas Municipais da Rodovia.

Numa cerimónia simples, mas importante para os nadadores, treinadores e próprios clubes, o presidente do COP explicou que “a palavra de esperança não é para que consigam atingir os tempos que tinham no momento da paragem, mas antes para que progressivamente se aproximem daquilo que era a normalidade antes da pandemia. E que tenham confiança para lutar pelos seus objetivos. Alguns nadadores já conseguiram os tempos para marcar presença nos JO, mas vamos esperar que outros consigam ainda carimbar o passaporte para Tóquio”.

De referir que o SC Braga viu já Tamila Holub assegurar a presença nos Jogos Olímpicos, estando José Paulo Lopes na expetativa de bater os mínimos para, também ele, viajar até Tóquio.

José Manuel Constantino salientou ainda o sentido de solidariedade e cumplicidade para que “os nadadores pudessem regressar ao seu habit natural e manter as expetativas”, lembrando aos nadadores que “só é derrotado quem desiste de lutar”. Portanto “os objetivos podem ser alcançados”.

Nesta visita José Manuel Constantino fez-se acompanhar pelo Diretor Desportivo do COP Pedro Roque, e o chefe da missão portuguesa aos Jogos Olímpicos, Marco Alves e Filipe Jesus.

ESTÁGIO E UM COMPETIÇÃO EM AGOSTO

António José Silva, presidente da Federação Portuguesa de Natação, também esteve presente na visita do COP ao SC Braga e anunciou a realização de um estágio e uma competição de seleções, que se irá disputar entre os dias 14 e 16 de agosto em Loulé.

O estágio é dirigido aos atletas que estão no programa Olímpico e vai ter a duração de 25 dias, que culminará com uma competição entre seleções. Na prova vão participar Portugal, Espanha e Brasil.

António José Silva, que nesta visita teve a companhia do vice-Presidente Rui Sardinha, referiu que “hoje é o arranque oficial a norte daquilo que é a preparação Olímpica para Tóquio 2021” e salientou o empenho dos nadadores e coordenadores que “conseguiram manter a preparação durante o período de emergência, regressando às piscinas logo que foi possível”.

António José Silva salientou “o esforço de todos” para que a natação possa ter uma comitiva alargada em Tóquio 2021 e lembrou “o apoio da Câmara Municipal de Braga ao SC Braga”.

SAMEIRO ARAÚJO: “ESTA VISITA FOI MUITO IMPORTANTE”

Sameiro Araújo, Vice-Presidente da Câmara Municipal de Braga, mostrou-se satisfeita com a visita do COP e da Federação Portuguesa de Natação ao SC Braga

“É com satisfação que recebemos tão ilustres convidados e é extremamente importante para os atletas sentirem que não estão sozinhos, não foram abandonados nesta caminhada”, disse Sameiro Araújo, que lembrou que, apesar das criticas, “logo que foi possível permitimos que o José Paulo Lopes e a Tamila Holub voltassem à piscina, até porque na altura ainda se sabia que os JO iam ser adiados”.

De resto “é um grande orgulho para Braga estar representada nos JO. Para já, na natação, temos a Tamila, mas o José Paulo Lopes está na luta. Aliás a natação do SC Braga já tem uma forte tradição de presenças nos JO”, mas: “Braga tem marcado, ao longo dos tempos, presença nos Jogos Olímpicos através de três modalidades, a natação, o atletismo e a canoagem”.

LUÍS CAMEIRA: “TEREM ESCOLHIDO BRAGA PARA ESTA CERIMÓNIA FOI MUITO IMPORTANTE”

“É um orgulho e uma honra termos aqui tão ilustres presenças. Terem escolhido Braga e a natação do SC Braga para fazer esta simples, mas importante cerimónia foi muito importante”, começou por referir Luís Cameira, coordenador técnico do SC Braga.

O treinador bracarense considerou que “foi uma cerimónia simples, mas com muito significado para os nadadores, para eles perceberem que não estão sozinhos e se sentirem motivados. Nesta fase complicada que atravessamos é importante eles sentirem-se apoiados e incentivados”.

Luís Cameira lembrou que “o apoio incondicional que a secção tem recebido da autarquia e do clube, que tudo fizeram para que os nadadores regressassem à piscina. Primeiro os dois nadadores do projeto olímpico, depois os internacionais, a equipa principal e os Infantis. Aos poucos vamos tendo os nadadores de regresso à sua atividade normal”.

Quanto à competição marcada para agosto, o treinador do SC Braga considerou “é uma prova com duas potências mundiais. É muito importante para os nadadores, para eles terem um foco e um motivo para treinarem. Antes da competição, temos um estágio de três semanas em Loulé, que também é importante para eles”.

TAMILA HOLUB “NÃO FOMOS ABANDONADOS”

Tamila Holub, do SC Braga, foi uma das atletas que marcou presença na cerimónia desta tarde na Piscina Municipal da Rodovia. Tamila já assegurou a presença nos Jogos Olímpicos e considera que “esta visita foi muito importante para nós, permite-nos perceber que não fomos abandonados. Esta situação é complicada e foi estranho estarmos tanto tempo fora de água. Felizmente já estamos a treinar há alguma tempo e agora temos a perspetiva de fazer uma competição, o que também é importante porque precisamos de um foco, uma motivação para continuar a melhorar”.

De referir na cerimónia desta tarde marcou ainda presença Joel Pereira, diretor das modalidades do SC Braga, André Ferreira, da Natação do SC Braga, bem como os treinadores de natação Pedro Faia, do GDN Famalicão, Rui Borges, do Fluvial Portense, e Fábio Pereira e os nadadores Angélica André, Catarina Monteiro e Gabriel Lopes.

No final na cerimónia Luís Cameira orientou o primeiro treino na piscina exterior que contou com a presença dos nadadores do SC Braga José Paulo Lopes e Tamila Holub, e ainda de Ana Catarina Monteiro (Fluvial Vilacondense) e Gabriel Lopes (Louzan), nadadores com mínimos para os Jogos Olímpicos de Tóquio.

Comentários

Artigos relacionados

Botão Voltar ao Topo

COVID-19

Nas áreas afetadas, a Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda medidas de higiene e etiqueta respiratória para reduzir a exposição e transmissão da doença: • Medidas de etiqueta respiratória: tapar o nariz e a boca quando espirrar ou tossir, com um lenço de papel ou com o antebraço, nunca com as mãos, e deitar sempre o lenço de papel no lixo; • Lavar as mãos frequentemente. Deve lavá-las sempre que se assoar, espirrar, tossir ou após contacto direto com pessoas doentes. Deve lavá-las durante 20 segundos (o tempo que demora a cantar os “Parabéns”) com água e sabão ou com solução à base de álcool a 70%; • Evitar contacto próximo com pessoas com infeção respiratória; • Evitar tocar na cara com as mãos; • Evitar partilhar objetos pessoais ou comida em que tenha tocado. Seja responsável, faça a sua parte. Respeite o isolamento social. #JUNTOSVENCEREMOS