CICLISMO

Diogo Mendes: nasce uma ‘estrela’ na EC Carlos Carvalho

Diogo Mendes, que completa hoje 16 anos, é a grande aposta da Escola de Ciclismo Carlos Carvalho. O ciclista de Pevidém está há pouco mais de dois anos no ciclismo, começou como Juvenil de segundo ano, mas paulatinamente tem ganho o seu espaço no seio da modalidade, sendo encarado como uma das promessas do ciclismo minhoto.

Diogo Mendes, que carrega o peso do apelido – é primo do Campeão Nacional de Fundo José Mendes -, quer singrar na modalidade que escolheu e diz-se preparado para o trabalho e os sacrifícios que ser ciclista exige. O seu grande objetivo é chegar ao World Tour e participar nas grandes provas, em especial “na Clássica Paris-Roubaix e no Giro de Itália”.

FELIZ POR REGRESSAR AOS TREINOS NA ESTRADA

Para já, o jovem de Pevidém já se sente feliz por poder regressar aos treinos na estrada depois de, praticamente, dois meses a treinar em casa…

“Estou a regressar aos treinos em estrada progressivamente, de acordo com os planos fornecidos pelo meu treinador. Para já ainda intercalo com treinos de core”, começou por referir Diogo Mendes, que confessa que “já tinha muitas saudades de ir treinar para a estrada. O primeiro treino decorreu com boas sensações e acima do que estava à espera”.

Dois meses fora da estrada deixaram, no entanto, marcas… “o primeiro treino custou-me um bocadinho, mais nos primeiros quilómetros, mas a motivação fez com que tudo passasse”.

TREINOS NOS ROLOS, DE CORE E CAMINHADAS

Durante a quarentena, Diogo Mendes treinou, sobretudo, em casa “intercalava o treino nos rolos, com treino de Core e alguma caminhada sempre que era possível”. E depois há ainda os estudos… “geralmente, tenho as aulas virtuais na parte final da manhã, então tentava fazer o treino de Core ao início da manhã, fazia rolo ao início da tarde e fazia caminhada ao final da tarde.”

Diogo Mendes estuda no 10.º Ano na área de Línguas e Humanidades, mas confessa que “ainda não sei o que quero seguir. Talvez algo ligado a Direito, mas ainda não decidi”.

Enquanto esteve em confinamento, o ciclista de Pevidém confessa que o mais lhe custou “foi não poder fazer o que mais gosto, treinar na estrada ao ar livre”.

“O MEU GRANDE OBJETIVO É REGRESSAR À COMPETIÇÃO”

No seu segundo ano de Cadetes, Diogo Mendes garante que o seu grande objetivo é “em primeiro lugar regressar à competição” e adiantou “se puder juntar a isso algumas vitórias seria espetacular”.

Diogo Mendes está há pouco mais de dois anos no ciclismo: “entrei como Juvenil de segundo ano”. E o que te levou a escolher o ciclismo? “Sem dúvida o gosto pela modalidade e o facto de procurar seguir os passos do meu primo, o ciclista José Mendes. É nele que me inspiro”.

“GOSTO MUITO DA EQUIPA E DO TREINADOR”

E quando à escolha pela equipa Escola de Ciclismo Carlos Carvalho: “na altura que decidi entrar para o ciclismo, tive algumas informações sobre a equipa, fornecidas por alguns amigos e familiares e decidi entrar. Gosto muito da equipa e do treinador”.

Esta temporada Diogo Mendes, um dos dois Cadetes da EC Carlos Carvalho, participou na Prova de Abertura – Volta a Cantanhede, única prova da categoria disputada antes da suspensão das competições devido à pandemia do Covid-19.

“Tive a oportunidade de fazer a Volta ao concelho de Cantanhede, sinto que estive bem, mas estava preparado para fazer melhor.  Tive alguns percalços durante a corrida que me atrasaram”, disse Diogo Mendes.

ESTREIA EM CADETES: “FOI ÉPOCA DE APRENDIZAGEM”

Na sua época de estreia na categoria de Cadetes, o jovem de Pevidém mostrou muita vontade e foi subindo de rendimento com o passar das corridas… “Foi uma época de aprendizagem. Penso que poderia ter feito melhor, mas também estive parado algumas semanas devido a um acidente que sofri durante um treino. Mesmo assim fui subindo de forma com o passar das corridas. Nas últimas duas provas – Gondar e Pousada de Saramagos – penso que fiz duas boas corridas”.

PRÉMIO COMBATIVIDADE

Aliás no Prémio RS Bikes, Diogo Mendes subiu mesmo ao pódio para receber o Prémio da Combatividade. “A prova de Gondar foi a melhor da época passada. Tento dar o máximo e persistir até ao fim e em Gondar correu bem”.

Olhando para o futuro, Diogo Mendes não tem dúvidas “sem dúvidas que quero chegar a uma equipa do World Tour. Sei que para lá chegar é preciso imenso trabalho e fazer muitos sacrifícios, mas estou preparado para isso”.

Interrogado sobre qual a prova que mais gostaria de fazer, o ciclista da EC Caros Carvalho referiu “o que eu gostava mesmo de fazer era a Clássica Patis-Roubaix e o Giro de Itália”.

APOIOS DOS PAIS E CONSELHOS SÁBIOS DE JOSÉ MENDES

Para esta aventura no ciclismo, Diogo Mendes conta com o apoio incondicional dos pais, que também gostam de ciclismo, e o incentivo e os conselhos sábios do Campeão Nacional de Fundo, José Mendes…

“Ele sempre me apoiou, desde o início que me vai dando alguns conselhos e apoia-me. Diz-me sempre que no ciclismo é preciso muita humildade, muito trabalho e fazer muitos sacrifícios. Felizmente até tenho a oportunidade de fazer alguns treinos com ele”, disse Diogo Mendes, que confessa que “às vezes assusta-me ver todos os sacrifícios que ele tem de fazer para andar no topo do ciclismo, mas graças a ele já tenho consciência do que tenho de fazer”.

José Mendes é um dos nomes incontornáveis do ciclismo nacional, com um curriculum de grande nível. Diogo Mendes, sendo primo, será sempre comparado aos feitos do primo, mas, garante, “se me compararem ao José Mendes será muito positivo para mim. Se chegar ao nível que ele atingiu ficarei muito contente”.

Comentários

Artigos relacionados

Botão Voltar ao Topo

COVID-19

Nas áreas afetadas, a Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda medidas de higiene e etiqueta respiratória para reduzir a exposição e transmissão da doença: • Medidas de etiqueta respiratória: tapar o nariz e a boca quando espirrar ou tossir, com um lenço de papel ou com o antebraço, nunca com as mãos, e deitar sempre o lenço de papel no lixo; • Lavar as mãos frequentemente. Deve lavá-las sempre que se assoar, espirrar, tossir ou após contacto direto com pessoas doentes. Deve lavá-las durante 20 segundos (o tempo que demora a cantar os “Parabéns”) com água e sabão ou com solução à base de álcool a 70%; • Evitar contacto próximo com pessoas com infeção respiratória; • Evitar tocar na cara com as mãos; • Evitar partilhar objetos pessoais ou comida em que tenha tocado. Seja responsável, faça a sua parte. Respeite o isolamento social. #JUNTOSVENCEREMOS