BASQUETEBOL

GDAS prepara-se para atacar subida

O Grupo Desportivo André Soares (GDAS) vai lutar pela subida ao Campeonato Nacional da I Divisão masculino de basquetebol. O conjunto bracarense assegurou, desportivamente, o direito a estar na fase de apuramento e já decidiu que vai participar.

“Desportivamente asseguramos o direito de poder disputar as poules de apuramento e, embora seja uma participação facultativa, nós vamos participar”, começou por referir Alexandre Oliveira, coordenador técnico do GDAS.

“TENTAR COMPETIR O MAIS ACIMA POSSÍVEL”

O conjunto bracarense aguarda agora “pelo comunicado da FPB para definir os termos da prova, também temos dúvidas quanto aos atletas que podemos utilizar”, mas seja como for “o GDAS vai participar, foi um direito que adquirimos”, lembra Alexandre Oliveira.

De referir que o GDAS tinha assegurado a presença na segunda fase do Campeonato Nacional da II Divisão, que estava a começar. Assim, a equipa treinada por Luís Arantes vai dar continuidade ao seu objetivo para a época “estar nos momentos de decisão das competições e tentar competir o mais acima possível”.

Alexandre Oliveira lembrou que “a subida de divisão não era e não é o objetivo principal do GDAS. O que sempre nos norteou foi fazer o melhor e estar nos momentos das decisões. Claro que ao estar na fase de subida, não vamos virar as costas. Vamos continuar a dar o nosso melhor para chegar o mais longe possível”.

PREPARAR PARA REGRESSAR AOS TRABALHOS

O GDAS está a preparar a nova temporada e a ideia é recomeçar a treinar logo que seja dada autorização: “as escolas abrem no dia 18 e vamos ver como é que fica tudo, quais as possibilidades e a forma que temos de regressar aos treinos. Estamos a definir um plano, tendo em atenção as circunstâncias do momento e as indicações da DGS. Vamos ver se podemos treinar em junho, julho ou agosto”.

Com a época encerrada, Alexandre Oliveira faz um balanço muito positivo daquilo que foi a temporada 2019/2020.

“ÉPOCA MUITO POSITIVA”

“O balanço da equipa sénior, mas também do clube, no seu todo, é muito positivo. Aliás, num ou outro caso até excedemos as expetativas. Para além dos resultados desportivos, o GDAS registou um crescimento do número de atletas e o trabalho desenvolvido foi de enorme qualidade”.

No que se refere à equipa sénior “tivemos um grupo competitivo, que aos poucos foi ganhado os jogos e então fomos alterando os objetivos. Hoje estamos no grupo das equipas que desportivamente têm acesso à fase de apuramento para a subida de divisão e vamos continuar com a mesma ideia. Dar o nosso melhor e fazer de tudo para estar nas decisões”.

“FORMAÇÃO ESTEVE NAS DECISÕES DAS COMPETIÇÕES”

Quanto à formação: “o balanço também é bastante positivo. Todas as equipas estiveram nas decisões das competições e marcaram presença nas finais. Depois tínhamos o objetivo de crescimento e também esses foram alcançados, mesmo no feminino. Iniciamos a época com uma equipa e já tínhamos duas. Conseguimos criar algumas equipas B e mesmo nos mais pequeno tínhamos meninos dos seis aos 12, ou seja, conseguimos formar equipas de Sub-8, Sub-10 e Sub-12”.

“Felizmente o ano foi muito positivo. É verdade que trabalhamos muito, foram muitas horas, mas o GDAS estava a atingir os objetivos que traçou para a época. Só esperemos que esta situação não deite tudo a perder. Para evitar males maiores, vamos, dentro das condicionantes e de todas as regras, retomar os treinos logo que possível”, disse Alexandre Oliveira, que receia a desistência de alguns atletas….“pode haver uma quebra. A confiança para com o momento não é muita, mesmo dos pais que vão ter receio de deixar os filhos vir treinar. Vamos ver como as coisas evoluem para tentar resolver isto da melhor maneira e evitar que haja um decréscimo de atletas no GDAS”.

TREINOS EM CASA

Para já, e desde a suspensão dos treinos, o GDAS tem tentado manter todos os atletas em atividade: “todos os treinadores têm feito um plano de trabalhos para o seu escalão. Tentamos manter o contacto, mas não é fácil controlar nestas circunstâncias. Claro que se tivermos a oportunidade de regressar aos treinos o quanto antes, podemos minimizar os danos desta paragem. Seja como for estaremos sempre dependentes da autorização para treinar, da escola porque o pavilhão pertence à Escola André Soares e das entidades oficiais”.

O GDAS está já a planear a nova temporada. Certo é que corpo técnico do clube vai manter-se, podendo, apenas, haver alteração nas equipas a orientar.

Comentários

Artigos relacionados

Ver também
Fechar
Botão Voltar ao Topo

COVID-19

Nas áreas afetadas, a Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda medidas de higiene e etiqueta respiratória para reduzir a exposição e transmissão da doença: • Medidas de etiqueta respiratória: tapar o nariz e a boca quando espirrar ou tossir, com um lenço de papel ou com o antebraço, nunca com as mãos, e deitar sempre o lenço de papel no lixo; • Lavar as mãos frequentemente. Deve lavá-las sempre que se assoar, espirrar, tossir ou após contacto direto com pessoas doentes. Deve lavá-las durante 20 segundos (o tempo que demora a cantar os “Parabéns”) com água e sabão ou com solução à base de álcool a 70%; • Evitar contacto próximo com pessoas com infeção respiratória; • Evitar tocar na cara com as mãos; • Evitar partilhar objetos pessoais ou comida em que tenha tocado. Seja responsável, faça a sua parte. Respeite o isolamento social. #JUNTOSVENCEREMOS