VOLEIBOL

AVC Famalicão disputa Supertaça e SC Braga garante manutenção

O AVC Famalicão, clube que estava apurado para disputar o Playoff do Campeonato Nacional da I Divisão de Voleibol Feminino, vai disputar a Supertaça Feminina de Voleibol, prova que se vai disputar em setembro.

Esta foi uma das decisões tomadas pela Federação Portuguesa de Voleibol, que hoje anunciou o encerramento das competições seniores da época 2019/2020, uma decisão conjunta com as Federações de Basquetebol, Patinagem e Andebol, e tomada depois de terem auscultado os clubes, Associações e restantes agentes desportivos e tendo em conta a atual situação que se vive devido à pandemia do coronavírus.

As federações decidiram também não atribuir qualquer título de Campeão Nacional. No que respeita ao Voleibol e porque já estavam apuradas as quatro equipas que iriam disputar a fase de Apuramento de Campeão, a Federação Portuguesa de Voleibol decidiu reformular a Supertaça, que este ano vai ser disputada por quatro equipas, as equipas que estavam apuradas para o Playoff do Campeonato Nacional.  Assim, com o AVC Famalicão vão disputar a Supertaça o AJM/FC Porto, que era o seu adversário do Playoff,, PV2’014 – Associação Desportiva e Clube Kairós.

VÍTOR OLIVEIRA “ERA O MAIS JUSTO”

Vítor Oliveira, treinador do AVC Famalicão, considerou a decisão como a mais justa. “Era o mais justo de se fazer, senão a verdade desportiva ia ser posta em causa, até porque as jogadoras estrangeiras já regressaram aos seus países e estamos há muito tempo parados. De resto, continua a haver um sem número de condicionalismos para podermos regressar à competição e seria descabido regressarmos à competição”.

Quanto à questão da Supertaça, o treinador do AVC de Famalicão referiu que “foi uma surpresa agradável. É daquelas competições em que todos os clubes gostam de estar. Foi bom a FPV ter optado por esta forma de disputar a Supertaça em vez de a cancelar, que era a outra opção, uma vez que já havia vencedor da Taça de Portugal, mas não estava encontrado o Campeão. Assim, podemos começar a época a lutar por um título e quem sabe ganhá-lo. É um prémio para as jogadoras”.

SC BRAGA MANTÉM-SE NA I DIVISÃO

A Federação Portuguesa de Voleibol decidiu ainda que não há descidas de divisão. O SC Braga, que ia disputar a Fase dos Últimos juntamente com Castêlo da Maia, Boavista e Belenenses, mantem-se assim no Campeonato Nacional da I Divisão, tal como os restantes clubes.

Carlos Dias, coordenador técnico do Voleibol do SC Braga, considera a decisão “aceitável”, mas considerou que “isso não é o mais importante nos tempos que vivemos”.

“As equipas já se preparam para a próxima época e seria muito estranho regressar às competições após tanto tempo de confinamento”, referiu Carlos Dias, que lembrou que “na escala das prioridades, a saúde e a integridade física são bem mais importantes”.

Quanto ao facto de não haver descidas, Carlos Dias salientou que “não poderia ser de outra forma. Não seria justo para ninguém”.

FAMALICENSE E VC VIANA MANTÊM-SE

O Famalicense e o VC Viana, que estavam na Série dos Últimos, garantem a manutenção no Campeonato Nacional da I Divisão Masculina de Voleibol.

A duas jornadas do termo do campeonato as duas equipas minhotas já estavam já fora da manutenção direta e iam disputar a Fase dos Últimos.

II DIVISÃO: VITÓRIA SC VAI DISPUTAR ACESSO À I DIVISÃO

O Vitória SC vai disputar a fase final do Campeonato Nacional da II Divisão feminino de Voleibol que dá acesso à subida de divisão. O conjunto treinado por Óscar Barros já tinha garantido a presença na fase final, que vai acabar por se disputar, mas que tem agora objetivos diferentes. Nesta fase final não se vai apurar o Campeão Nacional, mas as duas equipas que vão subir ao reformulado Campeonato Nacional da I Divisão, que passará a ter 14 equipas.

CARTAIPENSE E VC VIANA NA LUTA PELA SUBIDA À II DIVISÃO

CARTaipense e VC Viana vão disputar a fase de acesso à subida ao Campeonato Nacional da II Divisão. O conjunto das Taipas, treinado por Pedro Freitas, ocupava a segunda posição da Série A do Campeonato Nacional da III Divisão, enquanto o VC Viana era quarto classificado. Para esta fase de subida estão apuradas as quatro primeiras classificadas de cada série, sendo que sobem duas equipas.

De referir que estas fase de apuramento de acesso às subidas de divisão se realizam no início da época 2020/2021, em setembro, faltando definir os moldes como se vão disputar, sendo certo que os agentes desportivos (atletas, treinadores) que nela vão participar serão os inscritos para a época 2020/2021.

Quanto às competições europeias da próxima época a ordem de prioridade a comunicar às Federações Internacionais terá em conta a classificação no momento da suspensão das respetivas competições.

Comentários

Artigos relacionados

Botão Voltar ao Topo

COVID-19

Nas áreas afetadas, a Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda medidas de higiene e etiqueta respiratória para reduzir a exposição e transmissão da doença: • Medidas de etiqueta respiratória: tapar o nariz e a boca quando espirrar ou tossir, com um lenço de papel ou com o antebraço, nunca com as mãos, e deitar sempre o lenço de papel no lixo; • Lavar as mãos frequentemente. Deve lavá-las sempre que se assoar, espirrar, tossir ou após contacto direto com pessoas doentes. Deve lavá-las durante 20 segundos (o tempo que demora a cantar os “Parabéns”) com água e sabão ou com solução à base de álcool a 70%; • Evitar contacto próximo com pessoas com infeção respiratória; • Evitar tocar na cara com as mãos; • Evitar partilhar objetos pessoais ou comida em que tenha tocado. Seja responsável, faça a sua parte. Respeite o isolamento social. #JUNTOSVENCEREMOS