CICLISMO

César Fonte confiante na realização da Volta a Portugal

César Fonte, ciclista de Viana do Castelo que alinha na EFAPEL, entrou em 2020 tendo como principal meta do clube a Volta a Portugal. A maior competição de ciclismo nacional continua marcada, mas a preparação para o evento teve que ser reprogramada devida à pandemia que assolou o mundo.

Os treinos são agora feitos, sobretudo, de casa, nos rolos e baseada na preparação física, esperando-se que as restrições sejam levantadas e as ameaças do coronavírus ultrapassadas para que se possa retomar os treinos normais na estrada e se possam realizar algumas provas antes da Volta a Portugal.

CÉSAR FONTE PRESENTE VOLTA À COLÔMBIA E CLÁSSICA DA PRIMAVERA

César Fonte participou em duas provas antes da suspensão da competição – a Volta à Colômbia e a Clássica da Primavera -, por isso “não consigo fazer um balanço preciso. A Volta à Colômbia correu dentro do previsto, era a primeira competição do ano e o principal objetivo era ganhar ritmo”.

O ciclista de Viana do Castelo ficou satisfeito com o desempenho nas duas provas que realizou: “mais que os resultados, o importante para mim era saber como estava a condição física e nas primeiras competições deu para ver que estava no bom caminho e que a pré-época foi bem feita”. De resto “os objetivos impostos pela equipa para mim não estavam logo nos primeiros meses, por isso mesmo também me dava um pouco de tranquilidade no arranque da época”.

“OBJETIVO DO ANO JÁ ERA A VOLTA A PORTUGAL”

César Fonte lembrou que “o principal objetivo do ano já era a Volta a Portugal e continuará a ser”, mas “agora com esta situação toda será revista a planificação consoante o calendário que poderá ser realizado até ao final do ano”.

Quanto à preparação, César Fonte referiu que “estou na segunda semana a treinar só em casa, a fazer rolos e alguns exercícios que realizava na altura de pré-época. No início desta situação ainda saí para a estrada, mas devido a algumas situações familiares tenho optado por treinar em casa”.

“É MAIS DIFÍCIL CONTINUAR A TREINAR SEM UM OBJETIVO”

César Fonte considera que treinar apenas em casa requer muita força mental, mas lembra que o mais difícil é trabalhar sem objetivos “Acaba por ser um pouco massacrante treinar apenas em casa, nos rolos, mas para nós atletas é mais difícil continuar a treinar sem um objetivo. Sabemos que temos que continuar a trabalhar para manter um nível aceitável, mas no fundo ainda não sabemos quando vamos voltar à competição e isso para mim é mais duro”.

Apesar de não se saber quando regressam as provas, o ciclista vianense considera importante continuar a acreditar que se vão realizar algumas provas, entre elas, a Volta a Portugal.

“ACREDITO QUE HAVERÁ VOLTA A PORTUGAL”

“Eu acredito que haverá a Volta a Portugal e mais algumas competições. Será muito mau para a modalidade não se realizar a corrida, mas seria muito mais preocupante para todos nós saber que até ao final do ano não se podiam realizar competições desportivas, isso indicaria que continuaríamos a viver de perto com a situação que lidamos atualmente”.

O regresso da competição poderá trazer, no entanto, outras realidades. O acesso dos aficionados às estradas, mais concretamente, à zona da meta, poderá ser restringido…

CICLISMO SEM PESSOAS: “PERDIA O ENCANTO”

“No caso do ciclismo é uma situação complicada, somos uma modalidade que vivemos da festa do povo. Não sei até que ponto será possível em Portugal realizar uma Volta sem pessoas nas chegadas, partidas e pela estrada fora. Perdia, certamente, o encanto da modalidade”, mas “as organizações e FPC é que terão de tomar as medidas mais corretas para o bem do ciclismo nacional e para o bem de todos nós”.

Comentários

Artigos relacionados

Botão Voltar ao Topo

COVID-19

Nas áreas afetadas, a Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda medidas de higiene e etiqueta respiratória para reduzir a exposição e transmissão da doença: • Medidas de etiqueta respiratória: tapar o nariz e a boca quando espirrar ou tossir, com um lenço de papel ou com o antebraço, nunca com as mãos, e deitar sempre o lenço de papel no lixo; • Lavar as mãos frequentemente. Deve lavá-las sempre que se assoar, espirrar, tossir ou após contacto direto com pessoas doentes. Deve lavá-las durante 20 segundos (o tempo que demora a cantar os “Parabéns”) com água e sabão ou com solução à base de álcool a 70%; • Evitar contacto próximo com pessoas com infeção respiratória; • Evitar tocar na cara com as mãos; • Evitar partilhar objetos pessoais ou comida em que tenha tocado. Seja responsável, faça a sua parte. Respeite o isolamento social. #JUNTOSVENCEREMOS