CICLISMO

Ciclismo será um fator positivo e de esperança na tarefa de renascer Portugal

“O ciclismo é a modalidade que leva o abraço às localidades mais longínquas e que vai ter com o povo. Abraçando-o. Vamos voltar a fazê-lo”, esta é a mensagem que a Associação de Ciclismo do Minho enviou hoje a atletas, clubes, agentes desportivos, adeptos, parceiros, autarquias e patrocinadores.

A associação presidida por José Luís Ribeiro, numa mensagem dirigida à comunidade, prometeu um regresso às atividades “mais forte e determinado” garantindo que “o ciclismo será um fator positivo e de esperança na tarefa de renascer Portugal”.

De referir que a Associação de Ciclismo do Minho desde meados de março que tem insistido na sensibilização para o cumprimento das orientações da Direção-Geral da Saúde, tendo lançado junto da comunidade velocipédica a campanha “Força Portugal. Está nas nossas mãos”.

 

“REGRESSAR AINDA MAIS FORTES E DETERMINADOS”

 

Na missiva dirigida a atletas, clubes, agentes desportivos, adeptos, parceiros, autarquias e patrocinadores, a ACM refere ainda que “perante a inusitada situação em que todos fomos colocados, gostaríamos de transmitir uma palavra de esperança, convictos de que conseguiremos ultrapassar esta fase e regressar ainda mais fortes e determinados”.

Afirmando que “a situação que vivemos implica óbvias dificuldades e a vários níveis, comprometendo, por exemplo, o quotidiano individual e coletivo e os próprios calendários desportivos”, a Direção da ACM reconhece que “a época desportiva está inevitavelmente comprometida – com as atividades suspensas – mas tudo faremos para proporcionar o melhor regresso possível”.

 

COMO E QUANDO

 

“Todos temos, contudo, duas grandes dúvidas: como e quando podemos regressar. Sem resposta a estas duas questões e perante a incerteza não é possível planear o futuro nem reagendar atividades”, refere a ACM adiantando que, mesmo assim, “continuamos em contactos permanentes no sentido de avaliar a situação para que, cumprindo as determinações das autoridades nacionais, seja possível ir equacionando o regresso à atividade”.

A Associação de Ciclismo do Minho lembra que a Federação Portuguesa de Ciclismo criou um gabinete de apoio e que disponibiliza regularmente informações e recomendações, ao mesmo tempo que refere a disponibilidade da ACM e da própria FPC para auxiliar naquilo que estiver ao alcance.

Comentários

Artigos relacionados

Botão Voltar ao Topo

COVID-19

Nas áreas afetadas, a Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda medidas de higiene e etiqueta respiratória para reduzir a exposição e transmissão da doença: • Medidas de etiqueta respiratória: tapar o nariz e a boca quando espirrar ou tossir, com um lenço de papel ou com o antebraço, nunca com as mãos, e deitar sempre o lenço de papel no lixo; • Lavar as mãos frequentemente. Deve lavá-las sempre que se assoar, espirrar, tossir ou após contacto direto com pessoas doentes. Deve lavá-las durante 20 segundos (o tempo que demora a cantar os “Parabéns”) com água e sabão ou com solução à base de álcool a 70%; • Evitar contacto próximo com pessoas com infeção respiratória; • Evitar tocar na cara com as mãos; • Evitar partilhar objetos pessoais ou comida em que tenha tocado. Seja responsável, faça a sua parte. Respeite o isolamento social. #JUNTOSVENCEREMOS