NATAÇÃO

AD Fafe e a suspensão das provas: “Era uma decisão já esperada”

A Associação Desportiva de Fafe recebeu com naturalidade a notícia da suspensão do calendário de provas da natação pura da Federação Portuguesa de Natação. As medidas restritivas e o tempo necessário de preparação para os atletas já deixavam antever a suspensão da competição. Mesmo assim o clube fafense mantém os seus atletas em franca atividade.

“Enfim, era uma decisão já esperada devido à incerteza que ainda existe, relativamente, ao final das medidas preventivas em vigor e ao tempo necessário para os nadadores regressarem, após o reinício dos treinos de água, a uma forma que lhes permita proteger-se de lesões”, começou por referir Rui Ribeiro, coordenador técnico da AD Fafe, que adiantou que “veremos o que dirá a reavaliação da situação por parte da FPN em maio e como se organizará a próxima época”.

RUI RIBEIRO “EQUIPA ABSOLUTA TEM MANTIDO SESSÕES DIÁRIAS DE TREINO”

Apesar da suspensão das provas decretadas em inícios de março, a AD Fafe nunca parou e mantém todos os seus atletas em atividade.

“A equipa absoluta da ADF tem mantido sessões diárias de treino com a seguinte organização: num dia realizamos um treino em videoconferência em que todos fazemos juntos (sim, eu aproveito para melhorar a minha preparação física e tento motivar os meus nadadores dando o exemplo) um circuito de exercícios que lhes envio antecipadamente e no dia seguinte fazem um treino complementar, individual. Intercalamos o trabalho individual com o trabalho em equipa, mantendo assim a preparação, dentro das limitações inerentes ao isolamento” referiu Rui Ribeiro, que acrescentou que “nos cadetes e infantis, os meus colegas Fernando Pelota e Miguel Mota continuam a fazer o seu trabalho com os mais novos, com dinâmicas um pouco diferentes, devido às idades dos nadadores com que trabalham”.

“EM TERMOS DESPORTIVOS NÃO SENTIMOS QUE TENHAMOS PERDIDO NADA… ”

Interrogado sobre o que perde a AD Fafe com toda esta situação, Rui Ribeiro considerou que “em termos desportivos não sentimos que tenhamos perdido nada… Podia falar dos nadadores que estavam preparados para cumprir os seus objetivos individuais e no adiamento de alguns momentos bonitos e marcantes em competição que, certamente, iriam acontecer nestes meses, mas não deixa de ser isso mesmo: um adiamento. É um momento difícil para todos os clubes, para todos os nadadores e restantes agentes desportivos, mas há um bem maior que temos que preservar: a nossa saúde e a dos nossos familiares”.

 “PASSAR A MENSAGEM AOS NADADORES QUE PODEMOS APROVEITAR AS COISAS BOAS”

 “Tento passar a mensagem aos nadadores que podemos aproveitar as coisas boas que sairão daqui: maior união, respeito e valorização de aspetos que por vezes esquecemos em detrimento de coisas mais superficiais, por exemplo. E ganhamos novas formas de trabalhar, de comunicar, novas rotinas de organização. Na verdade, tenho sentido bastante proximidade e muita união entre todos e a prova disso é que tenho tido mais assiduidade nos treinos agora do que antes, talvez devido a uma maior disponibilidade horária, mas também a uma maior vontade de treinar e a uma maior solidariedade com os colegas e com o treinador” referiu Rui Ribeiro, que adiantou que “claro que noutros patamares, pelos quais não sou responsável, perdemos muito… será insustentável, por exemplo, manter as equipas de competição a funcionar durante muito tempo sem o normal funcionamento das escolas de natação e/ou aulas de aprendizagem e aperfeiçoamento, mas com a ajuda de todos lá conseguiremos”.

Quanto ao balanço da época, o coordenador técnico da AD Fafe afirmou que “ainda é muito cedo, continuamos a treinar (em casa!) e à espera de novidades”.

 “UM ABRAÇO FORTE A TODOS OS MEUS COLEGAS TREINADORES”

Nesta hora difícil para todos, Rui Ribeiro deixou uma palavra de conforto para todos os treinadores: “aproveito esta oportunidade para enviar um abraço forte a todos os meus colegas treinadores de todo o país, tenho conversado com alguns e sei que estão a fazer o melhor possível pelos seus nadadores”.

Comentários

Artigos relacionados

Botão Voltar ao Topo

COVID-19

Nas áreas afetadas, a Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda medidas de higiene e etiqueta respiratória para reduzir a exposição e transmissão da doença: • Medidas de etiqueta respiratória: tapar o nariz e a boca quando espirrar ou tossir, com um lenço de papel ou com o antebraço, nunca com as mãos, e deitar sempre o lenço de papel no lixo; • Lavar as mãos frequentemente. Deve lavá-las sempre que se assoar, espirrar, tossir ou após contacto direto com pessoas doentes. Deve lavá-las durante 20 segundos (o tempo que demora a cantar os “Parabéns”) com água e sabão ou com solução à base de álcool a 70%; • Evitar contacto próximo com pessoas com infeção respiratória; • Evitar tocar na cara com as mãos; • Evitar partilhar objetos pessoais ou comida em que tenha tocado. Seja responsável, faça a sua parte. Respeite o isolamento social. #JUNTOSVENCEREMOS