CICLISMO

José Simões na discussão dos títulos de Maratonas e XCO

José Simões estreou-se há precisamente um ano no escalão de Sub-23 com uma vitória clara no 8.º BTT XCO Paredes de Coura, primeira prova do Campeonato do Minho de BTT XCO – SCORE TECH. Desde então o ciclista famalicense tem evoluído bastante e este ano apresenta-se com objetivos ambiciosos. Conquistar o Campeonato do Minho de BTT XCM e XCO e revalidar o título Universitário de Maratonas são algumas das ambições para este ano.

José Simões que ingressou na equipa famalicense da Tomatubikers / Toyota – Macedo & Macedo em 2015, ainda tem na memória a vitória conseguida há exatamente um ano…

“Foi a primeira prova do Campeonato do Minho de XCO e também a minha primeira prova regional no escalão Sub-23, a pista era conhecida por todos, visto ser a mesma há várias épocas. Na linha de partida, se me recordo, tinha vários espanhóis, o que ia trazer uma concorrência maior à prova. Durante a prova andei sempre no grupo da frente e sensivelmente a meio ataquei para ganhar isolado”.

Foi o início de uma época em grande para o recém chegado ao escalão de Sub-23: “foi uma boa época. Como Sub-23 de primeiro ano consegui ser sétimo no Campeonato Nacional e ganhar quatro das seis provas do Campeonato do Minho. Iniciei também a competição em Maratonas, comecei por competir no Campeonato do Minho e fui Campeão Nacional Universitário pela Universidade do Porto na Maratona de Seia”.

RESULTADOS POSITIVOS NO ARRANQUE DA ÉPOCA

Para a presente época, o atleta de Famalicão traçou como meta melhorar os resultados conquistados o ano passado e a verdade é que subiu ao pódio em quase todas as provas em que já participou.

“Este ano arranquei com ideias de fazer melhor que na época passada, até porque juntando ao apoio da Osteomassagem Laúndos, contarei com o apoio da CityBike Famalicão, começando a correr com a marca de bicicletas BMC. Os objetivos passam por levar as Maratonas mais a sério, sempre conciliando com o XCO”, disse José Simões.

Quantos às provas que já realizou esta temporada referiu: “comecei a competir nas 3h de Vila Franca, fazendo segundo lugar em Elite, depois fiz uma prova no Regional do Porto de XCO em Lousada e ganhei em Sub-23. Usei estas provas para ganhar ritmo competitivo, arrancando o Campeonato do Minho de XCM, que se realizou em Ponte da Barca, com uma vitória em Sub-23 e o terceiro lugar em Elite / geral. No XCO de Melgaço ganhei o meu escalão, naquela que foi a primeira prova do Campeonato do Minho e que coincidiu com o Campeonato Nacional Universitário XCO, prova em que me sagrei Vice-Campeão. Em março arrancou a Taça de Portugal em Vila Franca, e com uma startlist de luxo fiz uma boa prova, dentro dos meus objetivos”.

CAMPEONATOS DO MINHO DE XCM E XCO:

“PENSO QUE TENHO CONDIÇÕES PARA OS DISCUTIR”

Quanto aos objetivos, o ciclista da Tomatubikers mostra-se ambicioso: “conquistar os Campeonatos do Minho de XCM e XCO são dois dos objetivos que tenho para este ano e, sem azares pelo meio, penso que tenho condições para os discutir. Depois vou tentar também renovar o título de Campeão Nacional Universitário de Maratonas, esse é também um dos grandes desafios”.

José Simões, que anda no BTT há mais de sete anos, confessa que “entre XCO e XCM, sem dúvida que, prefiro o XCM, por ter uma componente tática mais relevante, ao contrário do XCO em que apesar da tática ser importante, por serem corridas mais curtas, baseia-se em andar no limite do início ao fim”. E porque não a Estrada? “A estrada sempre foi um sonho, mas estando a competir desde início no BTT tornar-se difícil dar o salto para uma equipa de estrada. Quem sabe um dia…”, disse o jovem ciclista de Famalicão.

CONCILIAR COMPETIÇÃO E ESTUDOS

José Simões está no segundo ano de Engenharia de Redes e Sistemas Informáticos, na Faculdade de Ciências da Universidade do Porto. “Sendo um curso de informática, um universo gigante em constante evolução, exige muita dedicação e empenho. Tendo um mestrado integrado, são cinco anos em que temos de nos focar quase a 100% para conseguirmos concluir com sucesso”, referiu o ciclista famalicense, que garante que conciliar estudos e competição não é fácil. “Conciliar os estudos com a competição exige uma gestão eficaz do tempo, no meu caso em que gasto mais de duas horas por dia em viagens, para além do tempo passado na universidade a estudar e fazer trabalhos, faz com que reste pouco tempo para treinar. Nessa parte entra o meu treinador que prepara as sessões de treino de forma a serem o mais eficázes tendo em conta o tempo disponível”.

“ENQUANTO ME FOR POSSÍVEL APRESENTAR A UM BOM NÍVEL IREI CONTINUAR A COMPETIR”

“Enquanto me for possível apresentar a um bom nível irei continuar a competir” referiu José Simões, que sobre a atual situação que estamos a viver referiu que “com esta situação do Coronavírus vimos as nossas vidas mudarem de um dia para o outro. A nível académico estou a ter aulas por videoconferência, o que, apesar de não ser o ideal, nos mantém capazes de seguir o programa das cadeiras. A nível desportivo vimos o nosso calendário cancelado por tempo indeterminado e manter a motivação para treinar acaba por ser o mais importante, apesar de, por vezes, ser complicado. Mas temos que o fazer para quando esta situação passar nos conseguirmos apresentar em boa forma. Os treinos têm de ser feitos em casa, nos rolos de treino, ou em último caso, em zonas pouco habitadas, usando mais a bicicleta de BTT em detrimento da de estrada”.

José Simões começou a pedalar mais a sério em 2013 e dois anos depois ingressou na Tomatubikers “por quem fiz a primeira prova como federado. Infelizmente uma queda nesse mesmo ano fez com que apenas pudesse voltar a competir em 2016, a partir daí comecei a minha evolução até hoje”.

TOMATUBIKERS: “NÃO OS CONSIGO VER COMO ADVERSÁRIOS”

A Tomatubikers / Toyota – Macedo & Macedo conta no seu grupo com atletas jovens de grande talento. Em Melgaço, no escalão de Sub-23 foram três os atletas que ficaram nos primeiros quatro lugares: José Simões, Nuno Mesquita e João Azevedo, enquanto António Azevedo se viu afastado da corrida devido a um problema com a bicicleta.

“Por ser uma equipa com vários atletas jovens, faz com que tenhamos objetivos e rotinas em comum, o que nos permite treinar juntos e aprender uns com os outros”, explica José Simões, que garante que não consegue ver os colegas de equipa como adversários: “temos uma relação tão boa que não os consigo ver como adversários, se os tiver de ajudar em competição assim o farei”.

Comentários

Artigos relacionados

Botão Voltar ao Topo

COVID-19

Nas áreas afetadas, a Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda medidas de higiene e etiqueta respiratória para reduzir a exposição e transmissão da doença: • Medidas de etiqueta respiratória: tapar o nariz e a boca quando espirrar ou tossir, com um lenço de papel ou com o antebraço, nunca com as mãos, e deitar sempre o lenço de papel no lixo; • Lavar as mãos frequentemente. Deve lavá-las sempre que se assoar, espirrar, tossir ou após contacto direto com pessoas doentes. Deve lavá-las durante 20 segundos (o tempo que demora a cantar os “Parabéns”) com água e sabão ou com solução à base de álcool a 70%; • Evitar contacto próximo com pessoas com infeção respiratória; • Evitar tocar na cara com as mãos; • Evitar partilhar objetos pessoais ou comida em que tenha tocado. Seja responsável, faça a sua parte. Respeite o isolamento social. #JUNTOSVENCEREMOS