CICLISMO

Ricardo Machado e Seissa em destaque no Prémio de Barroselas

Ricardo Machado e a Seissa/KTM-Bikesen/Matias&Araújo/Frulact estiveram em destaque no XXIII Prémio de Ciclismo de Barroselas, segunda prova do Campeonato do Minho de Ciclismo de Estrada – Arrecadações da Quintã, que se disputou no domingo.

O ciclista de Braga, que já tinha estado na discussão da Prova de Abertura, que se realizou no sábado em Fafe, voltou a dar nas vistas na prova de Barroselas. Ricardo Machado fez parte do grupo de sete ciclistas que na segunda passagem pela meta encetou a fuga do dia.

Do grupo dos sete fugitivos faziam parte para além de Ricardo Machado (Seissa), Ricardo Simões (EFAPEL), Pedro Crispim (Bairrada), Gustavo Alves (Bruno Neves), Diogo Dias (AJA), João Oliveira (UC Trofa) e Manuel Rodriguez (Bathco), que aos poucos vão ganhando vantagem para o pelotão.

Numa tentativa de apanhar o grupo da frente Ruben Fandiño, da Bathco, escapa ao pelotão e coloca-se numa posição intermédia, onde passa a ser acompanhado pelo seu colega de equipa Manuel Rodriguez, que sofreu um furo e acaba por descolar do grupo da frente.  João Silva (Bairrada) tenta a sua sorte, deixa o pelotão para trás e vai ganhando tempo aos da frente.

À quarta passagem pela meta, o grupo intermediário junta-se aos fugitivos e a luta pela discussão da corrida intensifica-se. A última volta provoca muitas mexidas. Alguns dos elementos do grupo fugitivo acabam por descolar e são absorvidos pelo pelotão.

Na ponta final dos 115, 9 quilómetros do Prémio de Ciclismo de Barroselas, João Silva (Bairrada) faz novo ataque, assumindo a dianteira, tendo como perseguidores Diogo Dias (AJA) e Ricardo Machado (Seissa).

João Silva cortou a meta ao fim de 3:01:04 horas, deixando a dois segundos Diogo Dias (AJA). O bracarense Ricardo Machado fez terceiro lugar.

A Seissa ganha então um grande protagonismo ao conseguir colocar mais três atletas no Top10. João Almeida termina em oitavo, Victor de Paula é nono e Marcelo Gabriel 10.º.

Uma palavra ainda para Leonardo Mendes, ciclista da Tensai/Sambiental/Santa Marta que se estreia no escalão Júnior e concluiu a prova no 13.º lugar.

Nas metas volantes, com Gustavo Alves (EC Bruno Alves) a levar a melhor, deixando Diogo Dias (Academia Joaquim Agostinho) em segundo e Pedro Crispim (Bairrada) em terceiro.

Nos Prémios de Montanha, Diogo Dias (AJA) levou a melhor, com Ricardo Machado (Seissa) a conquistar o segundo lugar e João Silva (Bairrada) em terceiro.

Por equipas a Seissa/KTM-Bikesen/Matias&Araújo/Frulact terminou na segunda posição, atrás da Bairrada. A Academia Joaquim Agostinho fez terceiro lugar.

RICARDO MACHADO: “SINTO-ME BEM E PREPARADO PARA OS DESAFIOS”

“Foi uma prova muito dura”, foi assim que Ricardo Machado, ciclista da Seissa/KTM-Bikesen/Matias&Araújo/Frulact, se referiu à corrida de Barroselas.

Ricardo Machado terminou na terceira posição, a sete segundos do vencedor, depois de ter andado sempre no grupo de fugitivos… “vi que estava em condições e arrisquei. Consegui manter-me no grupo da frente durante toda a corrida. Na parte final dei o meu melhor e consegui ficar num lugar do pódio”.

“No sábado também tentei a minha sorte, andei bastante tempo na frente, mas não foi possível terminar nos lugares da frente. Nesta corrida as coisas correram melhor apesar de ter sido uma corrida mais dura, mais longa e que se tornou mais difícil devido ao tempo”, disse Ricardo Machado, que referiu que “não deu para ir além do terceiro lugar porque os adversários estiveram melhores e eu só tenho que lhes dar os parabéns”.

O ciclista de Braga, que na sua primeira corrida da época, disputada em Espanha, sofreu uma queda aparatosa, garante que “sinto-me bem e estou preparado para os desafios que aí vêm”.

JOÃO SILVA (BAIRRADA): “CORREU MUITO BEM”

João Silva, do Bairrada, foi o grande vencedor do Prémio de Ciclismo de Barroselas e no final mostrou-se bastante satisfeito com a prova.

“Este Prémio de Ciclismo correu muito bem. Foi uma prova toda ela feita debaixo de chuva, o que dificultou um pouco mais o nosso trabalho. Não acompanhei o grupo na fuga inicial, mas consegui sair do pelotão no início da terceira volta e depois foi pedalar para apanhar o grupo da frente e na parte final percebi que tinha as minhas hipóteses e ganhar, ataquei e consegui cortar a meta em primeiro lugar. Esta prova foi um pouco puxada, teve uns quilómetros extra em relação à prova de ontem, mas nós temos que nos habituar se queremos seguir no ciclismo”.

DANIELA PEREIRA VENCE EM ELITES FEMININOS

Daniela Pereira, famalicense que alinha no Maiatos, foi a grande protagonista ao vencer o Prémio de Ciclismo de Barroselas.

A ciclista de Famalicão que trocou o BTT pela estrada este ano, ando no meio do pelotão de Juniores durante uma boa parte da corrida, tendo como companhia Maria Barros (Concello do Porriño/Abanca), que tinha vencido em Fafe.

Determinada em vencer a prova, Daniela Pereira escapou na última das três voltas ao circuito, cortando a meta ao fim de 01:50:35h de prova. Maria Barros fez segundo lugar, a 1.26m de Daniela Pereira, enquanto Inês Trancoso (Maiatos) foi terceira.

Presentes estiveram ainda Carina Viana, ciclista de Viana do Castelo que alinha na NRV – Academia de Ciclismo de Paredes, e Maria Costa (Tensai/Sambiental/Santa Marta) não conseguiram acompanhar a corrida das atletas da frente.

DANIELA PEREIRA: “NÃO PODIA TER UMA ESTREIA MELHOR”

Daniela Pereira, ciclista da Famalicão que no defeso trocou a SAERTEX Portugal/Edaetech pelo Maiatos e o BTT pela Estrada, estreou-se no Campeonato do Minho com uma vitória categórica em Barroselas.

A ciclista famalicense estava, por isso, muito satisfeita: “não podia ter tido uma estreia melhor nas provas de estrada”.

Sobre a prova Daniela Pereira referiu que “tinha um percurso muito rápido e com a chuva ganhou ainda mais velocidade. Foi um bom teste para mim, uma boa prova de adaptação à estrada. A concorrência também era boa e obrigou-me a estar focada. Foi uma boa prova”.

Daniela Pereira surge na Estrada depois de vários anos a brilhar e a ganhar no BTT XCO. A ciclista explicou porque decidiu trocar: “no BTT já não encontrava desafios, já conhecia as pistas e já não me sentia satisfeita. Tinha uma certa curiosidade sobre o ciclismo de Estrada e decidi experimentar. É uma vertente diferente, é um desafio e vamos ver até onde posso ir”.

Na primeira prova as coisas correram bem: “consegui fazer uma boa corrida e estrear-me com uma vitória. Mas a verdade é que não tenho grandes ambições para este ano. Quero sobretudo aprender. Sei que a Estrada é totalmente diferente daquilo que estou habituada, é um desafio. Este ano é para aprender, adaptar à vertente e depois para o ano entro com outras ambições”.

JOEL MONTEIRO SATISFEITO

Joel Monteiro, da organização do XXIII Prémio de Ciclismo de Barroselas, gostou da forma como decorreu a corrida, mas em termos organizativos salientou que é preciso corrigir pequenas coisas.

“A corrida foi bastante movimentada, era um percurso longo, um pouco duro, que ficou mais difícil devido ao mau tempo, mas os atletas foram de um empenho muito grande, estão de parabéns. Em termos organizativos temos que rever algumas coisas e corrigir pequenos pormenores. Este ano organizamos a prova apenas para o escalão de Juniores, faz parte da evolução que queremos ter. O tempo não ajudou ao espetáculo e afastou algumas pessoas da prova, mesmo assim tivemos aqui uma moldura humana interessante. Aliás viu-se muita gente espalhada pelo percurso. Agora vamos analisar como correu a prova no geral para podermos pensar como vai ser a próxima edição”.

Comentários

Artigos relacionados

Botão Voltar ao Topo

COVID-19

Nas áreas afetadas, a Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda medidas de higiene e etiqueta respiratória para reduzir a exposição e transmissão da doença: • Medidas de etiqueta respiratória: tapar o nariz e a boca quando espirrar ou tossir, com um lenço de papel ou com o antebraço, nunca com as mãos, e deitar sempre o lenço de papel no lixo; • Lavar as mãos frequentemente. Deve lavá-las sempre que se assoar, espirrar, tossir ou após contacto direto com pessoas doentes. Deve lavá-las durante 20 segundos (o tempo que demora a cantar os “Parabéns”) com água e sabão ou com solução à base de álcool a 70%; • Evitar contacto próximo com pessoas com infeção respiratória; • Evitar tocar na cara com as mãos; • Evitar partilhar objetos pessoais ou comida em que tenha tocado. Seja responsável, faça a sua parte. Respeite o isolamento social. #JUNTOSVENCEREMOS